Canários

Bastante famosos por suas cores e seu canto, os canários são pássaros que chamam atenção de muitos criadores e entusiastas.

Além de serem aves tranquilas e dóceis, estes animais podem ser uma ótima companhia para seus donos.

Esse post vai te informar sobre todos os detalhes referentes a esse pássaro. Saiba sua origem, habitat, distribuição, espécies, e muito mais.

Ao fim do artigo, você será um verdadeiro especialista sobre o assunto. Confira!

canários gaiola

Origem e descoberta dos canários

Os primeiros pássaros dessa espécie foram encontrados em 1402, nas Ilhas Canárias.

Porém, eles só foram ficar populares no ano de 1478, após os espanhóis ocuparem a ilha.

Essa invasão resultou em um contato com os bichos da região, inclusive, os canários.

Dessa maneira, criou-se um monopólio na comercialização dos mesmos que só foi interrompida no ano de 1622.

Até lá, os espanhóis eram tão cuidadosos que só vendiam os machos para evitar reproduções que não tivessem seu controle.

Descrição científica dos canários

O canário pertence à classe aves e ordem Passeriformes, cujo qual sua família é de origem da Fringillidae, sendo que o seu nome científico é Serinus canarius. Tem como parentesco que é bastante similar ao dos pardais.

Além disso, sua família abriga espécies que são extremamente próximas desse pássaro, especialmente no campo genético.

Uma delas é a espécie chamada cientificamente de Serinus serinus, mais conhecida como a chamariz.

Cuidados gerais na criação

Criar canários pode ser uma atividade bastante trabalhosa. Para isso, os criadores muitas vezes procuram se juntar à clubes com outras pessoas que exercem essa função.

Isso auxilia na troca de ideias, e no desenvolvimento de novas técnicas de criação.

Assim, logo no início desse processo, é recomendado ao criador manter essa ave em apenas um único status de cor.

E também, devem ser sempre escolhidos pássaros jovens e saudáveis. Para isso é importante analisar o bico e as patas do mesmo.

Além disso, é fundamental que eles estejam com anilha que funciona como o registro oficial da ave.

Ele consiste em um anel de metal que contém informações importantes como sua data de nascimento.

Entretanto, essas dicas acima são direcionadas para quem quer ser um grande criador.

Para quem quer ter esse pássaro como bicho de estimação, as coisas facilitam bastante.

Desse modo, o dono só precisa prover um ambiente agradável, espaçoso e limpo.

É necessário colocar uma banheira, poleiros e alguns brinquedos para que a ave possa se entreter. E claro, também é um bicho que precisa de carinho e atenção.

Habitat das aves

Eles são aves nativas da Costa noroeste da África, permeando ainda regiões como Havaí e Bermudas.

Porém, os canários são capazes de se manter em uma série de ecossistemas distintos.

Então, é possível encontra-los em locais semiabertos como, por exemplo, pomares e bosques.

Também há habitats criados artificialmente não ficam de fora se seu alcance. É o caso de parques e jardins grandes.

Alimentação

A base de sua dieta é toda composta por uma grande mistura de sementes.

Alguns exemplos delas são linhaça, aveia, cânhamo, endívia, rabanete e gramíneas no geral.

Também é possível incluir na dieta desses animais sementes de alface e pretas.

Além disso, eles gostam de consumir verduras e frutas secas. As mesmas garantem aos canários, uma boa quantidade de vitaminas e minerais, ajudando na sua saúde.

Reprodução

É uma espécie monogâmica, sendo que o macho tem o dever de dar início ao processo de acasalamento, cortejando a fêmea.

Os períodos reprodutivos dos canários ficam entre os meses de janeiro e julho.

Costumam construir seus ninhos em pequenas ramificações de galhos de arbustos.

Assim, logo após o mesmo ficar pronto, as fêmeas colocam seus ovos. Eles são cerca de 3 a 4 por vez.

Desse modo, o tempo de postura desses ovos é de 35 a 40 dias, sendo maior que muitas outras espécies.

Após o nascimento, os filhotes começam a sair do ninho já no 13º dia. Também é o dia que suas plumagens começam a crescer.

Além disso, esses filhotes começam a imitar seus pais e desenvolver seu canto.

Por fim, todo esse processo pode acontecer em cativeiro sem muitos problemas, basta o criador oferecer um ambiente minimamente agradável.

Comportamento dos pássaros

Diferente de algumas aves, os canários devem ser sempre mantidos em grupos, ou no mínimo, em pares.

Não são pássaros que curtem muito a solidão, necessitando sempre dá atenção e cuidados de seu dono.

Além disso, mesmo que esse grupo seja majoritariamente formado por fêmeas, isso não causará nenhum problema.

Os machos não se sentem intimidados, o que torna essa configuração muito tranquila para ambas as partes.

As cores das aves

A primeira coisa que chama atenção logo de cara nos canários são suas cores.

O mais popular principalmente em programas de Tv é o amarelo. Porém, esses pássaros possuem diversas tonalidades como, por exemplo, o vermelho e laranja.

Essa característica é definida pela sua espécie e por dois pigmentos específicos como a melanina e lipocromo.

Esse último é encontrado na alimentação desses bichos que pode acarretar os tons vermelhos ou amarelos.

Entretanto, a melanina é produzida apenas pelo próprio organismo da ave.

Assim como nos humanos, a ave tem a capacidade de escurecer a cor da pele.

Desse modo, existem no mercado algumas alternativas que permitem modificar a intensidade dessas colorações.

Porém, esses tipos de suplementos não devem em hipótese alguma, serem implantados sem acompanhamento.

Só um profissional é capaz de receita-los de modo a não causar nenhum dano no bicho.  Por fim, conheça algumas das cores possíveis para essa ave.

  • Azul;
  • Azul opalino;
  • Vermelho marfim nevado;
  • Lutino marfim nevado;
  • Amarelo nevado;
  • Albino;
  • Branco dominante;
  • Amarelo intenso;
  • FEO rubino marfim nevado
  • FEO lutino marfim nevado;
  • FEO lutino nevado;
  • FEO albino;
  • Cobre opalino marfim nevado;
  • Ágata vermelho intenso;
  • Cobre intenso;
  • Cobre nevado;
  • Ágata vermelho nevado;
  • Ágata vermelho marfim nevado;
  • Ágata vermelho pastel marfim;
  • Ágata eumo amarelo intenso;
  • Ágata eumo prateado dominante;
  • Ágata pastel prateado dominante;
  • Ágata opalino prateado;
  • Verde nevado;
  • Verde intenso;
  • Asa cinza amarelo nevado;
  • Aza cinza prateado.

Cuidados com a higiene

Os canários podem ser bastante trabalhosos quando o assunto é tomar banho.

Muitos deles não curtem nada se molhar e podem se mostrar completamente negligentes com a higiene pessoal

Desse modo, quando isso acontece é responsabilidade do criador garantir sua limpeza correta.

Uma opção é borrifar água morna por todo seu corpo, fazendo com que ele tenha que se sacudir e se lavar.

Entretanto, se mesmo fazendo isso, o pássaro não demonstra nenhum sinal de que irá se limpar importante ter cuidado.

O dono deve verificar como está o estado da cloaca. Dessa forma, a melhor alternativa é passar uma esponja com água nas regiões sujas da ave.

Foto: Reprodução.

Mudanças de plumagem

Essas modificações anuais de plumagem são bastante exaustivas para esses bichos.

Elas ocorrem logo no verão, e concluem o processo em apenas oito semanas.

Durante todo esse período, os canários ficam mais quietos do que o normal.

Além disso, a higienização deles é extremamente importante, pois elas auxiliam na queda da antiga plumagem.

Outro ponto para se manter atento é a saúde. Importante que o dono ponha água fresca todos os dias para que eles possam se lavar.

Também, o criador pode optar por inserir suplementos especiais na dieta dos pássaros nesse momento.

Eles ajudam com os minerais e vitaminas, deixando-os mais fortes. Podem ser encontrados facilmente em lojas de produtos animais.

Por fim, se não conseguir o suplemento, adicionar legumes frescos também ajuda.

Desse modo, eles ficam fortalecidos para passar por essa troca que é tão complicada e pode machucar.

Mudanças de escamas

Os canários são pássaros que atravessam diversas mudanças ao longo da vida.

Além das plumagens, as escamas das pernas também mudam anualmente, sendo necessários alguns cuidados.

Por isso, ambientes com pouco acesso a água pode ser um problema.

Assim, esses bichos não conseguem se lavar, causando uma sobreposição de escamas, o que não é saudável.

O ideal é que o criador limpe as patas do animal com água morna. Ele pode também utilizar um creme próprio para pets para hidratar.

Entretanto, se mesmo assim, a ave mostrar acúmulo de camadas de escamas, o ideal é que se procure um veterinário.

Esse cenário pode ser indicativo da presença de ácaros, e deve ser tratado o quanto antes.

Cuidados com o bico

Essa região dessas aves é uma das que mais exigem cuidados especiais. O bico dos canários pode crescer demais, e acabar dificultando que os mesmos se alimentem de forma tranquila.

Nesse sentido, quando esse for o caso, o dono deve cortar o bico, mas calma, esse é um processo difícil e que deve ser feito com bastante cautela.

Umas das primeiras coisas a se atentar é a língua do animal, pois ela deve ser protegida antes do procedimento.

Desse modo, é indicado que o veterinário seja o responsável a realizar o corte.

Feito isso, o pássaro pode ficar um pouco sensível e quieto, porém, se for bem cuidado, ele logo se recuperará e voltará aos seus costumes normalmente.

Cuidados com as garras

Assim, como o bico, as garras dos canários podem se tornar muito longas.

Isso pode impedir andar direito, ou acabem presos e tropeçando, podendo se machucar.

Aqui, o dono mesmo pode realizar o processo, apenas exigindo um pouco de atenção.

Desse modo, o mesmo deve segurar as patas do animal contra a luz, permitindo a visualização dos vasos sanguíneos.

Depois, é só cortar a ponta da garra, de modo a manter seu formato. Em caso de acidentes, use um pedaço de algodão para parar o sangramento.

Espécies de canários mais conhecidas no Brasil

Disseminado em diversas regiões do mundo, esse pássaro é bastante comum no Brasil, sendo encontrado em quase todo o país.

Um dos únicos lugares não habitados por essa ave é a floresta amazônica. Conheça algumas espécies que são vistas por aqui.

1- Canário-rasteiro

Achado facilmente em regiões do Mato Grosso, Pará, Goiás, Piauí, Minas Gerais, Paraná e São Paulo. Sua plumagem chama atenção pela sua cor amarelo-limão.

Canário-rasteiro

2- Canário-do-Amazonas

Suas penas amareladas podem deixar qualquer especialista confuso. É um pássaro que se assemelha bastante ao canário da terra, porém, ele prefere ficar em campinas e cerrados.

Canário-do-Amazonas

3- Tipio

Esse pássaro possui vários nomes, dependendo da região onde se encontra. No Ceará é conhecido por canário-pirita ou canário-da-horta. Suas penas variam entre tons amarelados e cinza.

Canário Tipio

Doenças dos canários

Essas aves, como todas as outras, não estão imunes de doenças. Por isso, é necessário que os criadores desses pássaros estejam sempre atentos, e sejam responsáveis nos cuidados. Acompanhe algumas doenças que esse bicho pode adquirir.

1- Varíola ou Bouba aviária

Esse é um vírus que pode causar efeitos letais para esses pássaros.

Além disso, o tratamento dessa doença é bastante complexo e nada é garantido. Assim, a melhor forma é a prevenção por meio de vacinas.

Além disso, caso essa ave apresente patas inchadas ou machucadas, e dificuldade em respirar, fique alerta.

O melhor a fazer é levar imediatamente seu bichinho para um especialista avaliar.

2- Hipocalcemia

No caso de canários fêmeas, pode ocorrer a contenção do ovo no oviduto.

Nessa situação, o ventre delas se encontra distendido, deixando-as completamente exaustas.

Então, o indicado é procurar um veterinário. Logo, será possível realizar os procedimentos necessários para garantir que o pássaro não morra, nem apresente sequelas.

3- Conglomeração de ácaros

Uma das desvantagens em se ter uma ave dessas é que elas podem ser hospedeiras de inquilinos bastante desagradáveis.

Um exemplo são os ácaros, que podem ocupar diversas regiões do corpo desse animal.

Nesse cenário, as aves podem causar uma série de danos, como ruídos respiratórios.

Caso estejam na plumagem, serão facilmente identificados e acabarão forçando o bicho a se limpar constantemente.

Então, é importante manter um ambiente sempre higienizado.

Algumas Curiosidades

No decorrer desse post você já aprendeu quase tudo sobre os canários.

Então, continuando esse conjunto de informações, confira alguns fatos sobre esse bicho que talvez você não conhecesse.

1- O canarinho pistola é real

Quem acompanhou a CBF de 2016 já está bem familiarizado com sua mascote.

Acontece que ele sai das telinhas para a vida real. O canário-da-terra é o pássaro que inspirou a criação do que foi apresentado nos jogos.

Ele é um animal de temperamento bastante agressivo e mal-humorado.

Em alguns lugares, o canário-da-terra é chamado de brigão, devido esse comportamento tão distinto dos outros da sua espécie.

2- Inteligência natural

Seguindo a linha dos bichos que são bastante inteligentes e espertos, essas aves podem surpreender quem chega perto.

São astutos e curiosos, e quando ensinados, podem até realizar pequenos truques capazes de divertir qualquer um.

3- Raça

As cores são apenas uma das formas de se classificar essa ave. Existem outras duas formas bastante utilizadas. São elas, pássaros de canto e pássaros de porte.

Após acompanhar esse guia com todas as informações sobre aos canários.

Esta é a hora de mostrar aos seus amigos o que aprendeu sobre este querido animal. Compartilhe este artigo em suas redes sociais!

Outros pássaros para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *