Agapornis

Agapornis

O agapornis é uma ave originária da África Continental que possui, em média, o número de 09 subespécies já registradas.

A criação e a observação de aves é uma das maiores paixões de grande parte da população, havendo, inclusive, eventos específicos para conhecer novas espécies e apresentar novos produtos que trazem benefícios para esses animais.

Já a agapornis é amplamente conhecida como a ave do amor, pois o casal mantém um relacionamento “romântico” durante toda a vida e com os humanos a espécie costuma ser muito carinhosa também.

Tire todas as suas dúvidas sobre a espécie a seguir e se informe sobre este pássaro africano!

Onde é possível encontrar Agapornis?

O ambiente de ocorrência natural do agapornis é em regiões tropicais da África, principalmente, nos países como: na Tanzânia, no Quênia e em Madagascar.

Como são aves que migram e que foram levadas para outras regiões do mundo, é muito comum encontrar a espécie em regiões arborizadas como, por exemplo, praças e parques.

Já as espécies que são comercializadas são possíveis encontrar o agapornis para venda em criadouros, lojas agropecuárias e em pet shops.

Características do pássaro

Como principais características, o agapornis possui:

  • Possuem penas bastante coloridas;
  • São pássaros muito sociáveis e adoram brincar;
  • Pertence a mesma família dos papagaios e são bastante barulhentos (mas não chegam a falar);
  • São inteligentes e totalmente capazes de aprender diversos truques;
  • Vivem em média 15 anos (Apesar de haver registros de aves com mais de 20 anos);
  • Medem 13-17 cm de comprimento;
  • A fêmea pode chegar a pesar 50g, enquanto que o macho não ultrapassa 45g;
  • A espécie mais comum no Brasil é a Roseicollis que possui corpo verde e uma mancha laranja no rosto que vai até parte do peito;
  • Gosta de tomar muita água e também se banhar diversas vezes ao dia;
  • Por serem muito ativos gostam de gaiolas espaçosas e com muitos brinquedos que os distraiam;
  • Precisam ser criados aos pares (fêmea e macho) ou podem ter comportamentos violentos. Além disso, também é possível que a ave chegue a morte, caso não seja criado com seus respectivos criadores;
  • Conhecidos popularmente como, por exemplo, aves do amor, lovebird ou periquito beijoqueiro;
  • Eles são tão sociáveis que não se incomodam com a presença de outros animais em seu viveiro;
  • Não possui a capacidade de falar como os pássaros, porém, são sociáveis e conseguem balbuciar algumas palavras curtas e sons humanos, caso seja aguçado esta habilidade;
  • Caso o animal seja adquirindo quando estiver na fase adulta pode ser que ele chegue a se assustar coma presença de seres humanos;
  • A ave começa se debater quando dentro nas gaiolas, quando não está acostumado com a presença humana;
  • Porém, ele se acostuma com o tempo. Porém, é preciso ter um pouco de paciência com este animal.

Tipos de Agapornis

Até então, foram registradas 09 subespécies de agapornis, as quais são:

Agapornis Roseicollis

Agapornis Personata macho

Agapornis Fischeri

Agapornis Taranta sobrevivendo
Foto: Reprodução.

Agapornis Swinderniana

Características e hábitos do Agapornis Lilianae

Agapornis Pullaria macho

Três destas espécies (Roseicollis, o Personata e o Fischeri) são vendidas legalmente como animais de estimação no Brasil, já as demais são mais raras de serem encontradas, principalmente fora de seu ambiente natural.

Algumas espécies da ave possuem diferenças nítidas entre o macho e a fêmea, outras só são possíveis distinguir a partir de um exame específico (como teste de DNA, que custa em torno de R$ 20,00).

Como criar um agapornis?

Por se tratar de um animal silvestre é essencial ter autorização de órgãos ambientes internacionais, inclusive, é preciso procurar o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Dessa maneira, ao desejar criar um agapornis é essencial ter autorização para criar e, quem sabe, até comercializar esta ave.

Ao criar esta espécie em cativeiro é preciso promover um espaço saudável, limpo e higienizado diariamente.

Quem desejar criar este animal é importante ter a consciência que por se tratar de um animal silvestre, o agapornis precisa de cuidados diários específicos, requerendo certo tempo de dedicação.

Além disso, é essencial realizar gastos financeiros para manter sua saúde e bem-estar deste pássaro, principalmente por estar entre o convívio de seres humanos que retiram do seu habitat natural.

Vale lembrar que é muito difícil se obter a autorização para criar um pássaro que é tão raro, possuindo hábitos característicos e especiais.

Por isso, quem desejar cuidar do animal precisa encontrar criadores autorizados pelos órgãos ambientais para, dessa forma, adquirir uma espécie.

No geral, estes criadores não podem fazer a comercialização destes animais nascidos em cativeiros, porém, eles conseguem doar os filhotes desde que os órgãos ambientais sejam previamente comunicados.

Para facilitar neste processo é essencial se direcionar até o IBAMA ou algum órgão ambiental mais próximo da sua cidade.

Estes órgãos mantém uma lista atualizada constantemente com todos os criadores autorizados dentro do território brasileiro.

As vantagens de se procurar por um criador de animal silvestre autorizado são:

  • Não vai incentivar o tráfico nacional e internacional de animais;
  • Conseguirá ter a garantia de que o animal possui boa saúde;
  • Terá um animal mais acostumado com o convívio humano.

É importante situar que os criadores autorizados pelos órgãos ambientais adquiriram seus animais por conta do estado de saúde debilitado após fiscalizações de combate a tráfico ilegal de animais selvagens.

Alimentação

A alimentação do agapornis é bastante simples, se constituindo basicamente de: sementes, grãos, ervas, frutas e brotos de folhas.

Para quem cria o animal em ambiente doméstico, há uma série de alimentos específicos no mercado, como rações (com a necessidade nutricional exata) e suplementos alimentares.

É indicado que não se coloque a disposição deste animal uma variedade grande de alimentos.

Também não é recomendado ficar alternando a sua alimentação, pois este animal gosta de rotina.

Busque identificar quais frutas e sementes esta espécie tem preferência e para isso acontecer é necessário inserir diferentes frutas e sementes aos poucos.

Logo, é essencial ter paciência ir experimentando e também observando suas preferências.

Além disso, é indicado retirar o caroço e se possível até algumas sementes de algumas frutas, uma vez que possuem um sistema digestivo sensível que pode gerar incômodos no animal.

Antes de entregar a sua alimentação é obrigatório fazer a higienização das frutas e sementes em água corrente para manter o bem-estar e a saúde deste bicho.

agapornis

Reprodução

Ao ser comparado a outras aves, a reprodução do agapornis é bastante simples, sendo que a maior dificuldade é somente diferenciar o sexo para unir um casal em uma gaiola separada.

Depois de separar um casal, eles já começam a trocar caricias e um alimenta o outro. O restante fica todo por conta deles, desde preparar o ninho até a alimentação dos filhotes.

A maturidade sexual do agapornis é atingida após o primeiro ano de vida, sendo que a idade ideal para unir o casal é após completarem 13 meses.

Se for uma criação controlada, o mais indicado é que seja feito exame de DNA para confirmar o sexo e desta forma descobrir se eles são da mesma subespécie, caso não sejam os filhotes nascem com grandes chances de não sobreviverem.

Outro cuidado importante na criação controlada é deixar disponíveis folhas, cascas e capim seco para que as aves confeccionem o ninho.

Também tem a opção de comprar um ninho que seja espaçoso para que a fêmea tenha seus filhotes. Além disso, a quantidade de alimento deve aumentar neste período.

A cada cria, a fêmea costuma colocar de 3-5 ovos, os quais serão chocados por cerca de 20 dias, por sua vez, ao chegar à média de 40 dias, os filhotes já saem do ninho e depois já podem ser separados dos pais.

E mais, é importante saber das seguintes informações no estágio de reprodução do pássaro agapornis, são elas:

  • O animal estará preparado para reprodução quando trocar suas penas da fase adulta;
  • Para ter uma reprodução de sua espécie, a agapornis necessita de um ambiente que seja sossegado. É essencial que o cativeiro tenha sol pela manhã – preferencialmente até às 11 horas;
  • É importante sejam habituadas com a presença dos humanos, uma vez que na época reprodutiva é necessário de mexer no ninho para evitar que a fêmea abandone os ovos e deixem de fazer o choco;
  • Vale lembrar que a agapornis fêmea só coloca os seus ovos durante o período da madrugada, principalmente durante ao amanhecer;
  • Por fim, o cortejo do macho é simples e não possui nenhuma dificuldade ou exigência, na medida em que há a fase do cortejo que é imediatamente seguido da cópula.
Agapornis Reprodução
Foto: Reprodução.

Como cuidar de um Agapornis

O agapornis possui criação relativamente simples, basicamente a espécie precisa:

  • Gaiola espaçosa, pois é uma ave bastante ativa;
  • Disponibilidade de água, para beber e também para se banhar (trocar ao menos 1 vez ao dia);
  • Alimento adequado;
  • Higienização da gaiola ao menos uma vez por semana;
  • Inserção de brinquedos para aves na gaiola;
  • Colocar a gaiola em local iluminado, principalmente no período da manhã;
  • Interação com os moradores da casa, pois são aves que gostam de ser sociáveis.

 

Canto da Agapornis

Como já mencionado, essa é uma ave um pouco barulhenta, sendo que ela costuma “piar” durante quase todo o dia.

Porém, é possível também ensina-lo a cantar, existem, inclusive, vídeos no próprio Youtube que ensinam.

Quando aprende a cantar, o seu canto é bastante agradável.

 

Considerações finais

O pássaro agapornis até o momento não está na lista de animais que correm o risco de extinção.

No entanto, é uma ave que está na mira de comerciantes ilegais do tráfico de animais silvestres.

Uma vez que é um animal que é popular na internet, inclusive, muito procurado para criação doméstica.

Caso manifeste interesse em cuidar deste animal é essencial seguir as leis ambientais de seu país.

Afinal, a criação de animais selvagens é considerada crime em qualquer parte do mundo.

Outros pássaros para você:

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *