Agapornis Swinderniana

Agapornis Swinderniana

O gênero Agapornis, foi descoberto pelo zoólogo Heirinch Kuhl em 1820.  Assim, vem da família psittacidae, que pertencem às aves como os papagaios e periquitos. Logo, é a única da espécie agapornis swinderniana que é nativa de seu habitat.

O periquito foi batizado com este nome em homenagem ao professor holandês Theodore Van Swinderen.

Esta espécie vive em bandos pequenos de até 20 aves. No entanto, em época de seca podem se juntar a outros bandos.

Agapornis Swinderniana

Características do agapornis swinderniana

A princípio não dá para distinguir a olho nu o macho da fêmea.

Isto se dá porque suas pelagens são da mesma cor, além de possuir o mesmo peso e tamanho. Portanto, as suas plumagens possuem as seguintes características:

  • Pelagem de cor verde escura, por toda sua extensão;
  • Pelagem preta à volta do pescoço, fazendo uma meia gola na parte detrás da cabeça;
  • Peito da cor laranja ou amarelada;
  • As penas de sua calda vão da cor vermelha na raiz, descendo mais na extensão, se tornando azul;
  • Patas e bico na cor cinza escuro ou preto;
  • Não possuem anel ocular e seus olhos são amarelos.

Quando mais jovens, a pelagem do agapornis swinderniana é de um verde mais claro. Assim, a faixa preta detrás do pescoço quase não se nota.

Em suma, suas patas e bico tem uma coloração de um cinza esbranquiçado e seus olhos são marrons.

Do mesmo modo, este periquito tem uma estatura pequena. Medindo cerca de 13 a 14 centímetros (comprimento da cabeça até a cauda) e pesando de 39 a 41 gramas. Bem como, possui uma estimativa de 10 a 15 anos de vida.

Habitat do agapornis swinderniana

O habitat natural destes pequenos pássaros, vem a ser em regiões arborizadas da África, em floresta tropical e subtropical. Então, as regiões onde se é possível encontrá-los são:

  • Congo;
  • Camarões;
  • Costa do Marfim;
  • Gana;
  • Gabão;
  • Guiné Equatorial;
  • Libéria;
  • República Centro-Africana;
  • República Democrática do Congo.

De acordo com estudos, sua alimentação é predominantemente de frutas. A principal é o figo sicômoro, árvore nativa da região da África.

Por isso, o agapornis swinderniana não sobrevive em cativeiro, pela falta de alimentação adequada para ele.

Segundo pesquisas, creem que sua reprodução se dê na Bacia do Norte do Rio Congo, no mês de julho. As fêmeas se reproduzem a partir dos 9 meses de vida e dura até os 5 anos de idade.

No momento atual, não se tem uma estimativa de quantos pássaros desta espécie estão em sua fase adulta.

Mas já se observa que a população destes periquitos está diminuindo em decorrência da perda de seu habitat.

Existe a preocupação de manterem em estado de preservação os parques nacionais das regiões africanas.

Afinal, há a preocupação com a extinção destes animais.

Agapornis Swinderniana em grupo

Agapornis swinderniana e suas subespécies

Os naturalistas e zoólogos tiveram o primeiro contato com esta espécie em 1820. Assim, eles catalogaram as seguintes subespécies capazes de se intercruzarem. São elas:

  • Agapornis swindernianus (Kuhl, 1820) – Espécie nominal;
  • Agapornis swindernianus zenkeri (Reichenow, 1895) – Na República Centro-Africana e República Democrática do Congo;
  • Agapornis swindernianus emini (Neumann, 1908) – Se encontra na República democrática do Congo e Uganda.

Outros pássaros para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *