Pombos

Uma das aves mais comuns nos centros urbanos e áreas rurais são os pombos, a espécie é conhecida também como sendo pombo doméstico e/ ou pombo comum.

Os pombos são originários de regiões da Africa e Eurásia (limites entre a Europa e a Ásia) e graças a sua facilidade de adaptação aos mais diversos tipos de ambientes, a espécie está presente em diversas regiões do mundo.

Apesar de existir um certo alarmismo exagerado em relação aos pombos, os mesmos podem transmitir diversas doenças.

Conheça mais sobre o pombos a seguir e se informe!

Pombos
Foto: Reprodução.

Onde vivem os pombos?

Como mencionado anteriormente, eles possuem grande capacidade de adaptação ao meio e por isso vive com facilidade em diversos tipos de ambientes.

Apesar de ser muito comum em áreas urbanas, podem ser encontrados também em áreas rurais próximas às cidades.

Eles vivem geralmente em forros de casas, torres de igrejas e em prédios.

Qual é o predador natural dos pombos

O principal predador natural dos pombos são os gaviões, entretanto, não há muitos nos centros urbanos e isso faz com que a espécie permaneça relativamente segura.

Outros predadores comuns dos pombos são: falcões, gambás, corujas e guaxinins. Já no que se refere aos ovos dos pombos, estes são ameaçados por gatos (domésticos ou selvagens) e podem ser capturados também por corvos e gaivotas.

Quais as doenças que os pombos transmitem

Os pombos são considerados um grande problema ambiental, isso porque: danifica monumentos com suas fezes, compete alimento com espécies nativas e se reproduzem rapidamente.

Além disso, a espécie pode ser considerada um risco a saúde pública, pois os mesmos podem transmitir mais de 50 doenças ao ser humano, sendo as principais:

  • Criptococose: é uma doença fúngica que pode causar lesões em diversos tecidos e órgãos. Um agravante é que a mesma pode chegar ao pulmão e produzir lesões semelhantes as da tuberculose, inclusive o diagnóstico é dificultado por esse fator. A contaminação ocorre por meio da inalação dos fungos que ficam nas fezes dos pombos;
  • Histoplasmose: é também uma doença causada por fungos e a contaminação ocorre por meio da inalação das fezes. A histoplasmose se manifesta de forma muito semelhante a uma gripe forte, porém, tem como grande agravante ter a capacidade de espalhar no corpo uma grave infecção;
  • Salmonela: é uma doença causada por bactéria e tem como principal característica se alojar no estômago e demais órgãos do sistema digestivo. Os sintomas da salmonela são enjoo agudo, dor forte na região abdominal, febre e diarreia. A contaminação se dá pela ingestão de alimentos contaminados com as fezes dos animais;
  • Ectoparasitas: é uma doença que ocorre na pele, é conhecida também por “piolho de galinha”, é causada por ácaros e causa intensa coceira. Um agravante é que o ácaro pode carregar outras bactérias que se alojam na pele e facilmente se espalham pelo organismo, inclusive a bactéria riquétsia (que causa o tifo).

Há ainda estudos que apontam um risco potencial dos pombos transportarem o vírus da gripe aviária, como agravante tem-se que o organismo do pombo é susceptível a possibilitar mutações no vírus e torna-lo ainda mais perigoso.

Como o pombo veio para o Brasil

Eles vieram para o Brasil no período da colonização do país, junto a monarquia portuguesa. Na época os portugueses utilizam os pombos em competições de tiro e como pombos-correios.

E é justamente por isso que países que foram colonizados por Portugal possuem uma quantidade significativa de pombos em seu ambiente.

Características

Como características, possuem:

  • A fêmea é menor do que o macho;
  • Medem em torno de 30 cm de comprimento;
  • Pesam cerca de 300g;
  • Os machos e as fêmeas possuem aparência semelhante;
  • Possuem corpo de cor branca ou acinzentada;
  • São monogâmicos;
  • Nos centros urbanos, tais aves vivem cerca de 5 anos, enquanto que em ambiente silvestre podem chegar a até 15 anos.

Como se alimentam e reproduzem

Os pombos se alimentam de grãos e gostam principalmente de: trigo, cevada, aveia e milho.

Entretanto, como não possuem tais alimentos nos centros urbanos, eles comem também restos de lixo e qualquer tipo de comida que encontram nas ruas.

No que refere a reprodução, os pombos atingem sua maturidade sexual aos 3 meses de idade, as fêmeas colocam de 1 a 2 ovos por ninhada e são capazes de ter até 6 ninhadas por ano, sendo que o tempo de incubação é de 20 dias.

Contudo, apesar dos pombos trazerem prejuízos econômicos e riscos a saúde não é permitido que os mesmos sejam mortos, de acordo com as instruções do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA).

Sendo assim, se tiver problemas com o animal, o recomendado é que procure profissionais que possam te ajudar.

Veja também

chupim

Chupim

O Chupim é uma espécie nativa do Brasil que também está presente na Argentina, Uruguai, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *