Coruja-orelhuda

Conhecida por ser uma das espécies mais comuns do Brasil, a coruja-orelhuda é pouco vista por ter seus hábitos noturnos.

A ave é sempre muito discreta, a ave inicia sua maior atividade já no começo do pôr do sol.

Porém, é um animal que costuma ser bastante discreto e, por isso, é pouco visto na natureza pelos seres humanos.

O que dificulta até a caça ilegal desta espécie, visto que chega se esconder quando livre na natureza e habitat natural.

Neste artigo vamos conhecer suas características, hábitos alimentares, como se reproduzem e outras informações e curiosidades. Leia até o fim e encante-se!

Coruja-orelhuda

Como é a coruja orelhuda?

Como dito anteriormente, a coruja-orelhuda é muito comum nas regiões brasileiras.

Ela vive em locais abertos e semiabertos como árvores esparsas, bodas de matas, áreas rurais e parques urbanos.

Logo, seus hábitos especialmente noturnos tornam-na muito discreta e pouco vista pelos humanos.

Contudo, já ao por do sol a coruja começa suas atividades, seja para caçar ou no período certo de acasalar.

Durante o período diurno geralmente se mantém escondidas entre as copas das árvores.

Também podem ser vistas em arames e fios de beira de estradas ou em postes nas áreas consideradas urbanas.

Essa coruja geralmente apresenta porte médio, podendo medir entre 30 e 38 centímetros.

O peso do macho fica em torno de 335 a 553 gramas, sendo que diferente da fêmea que pode pesar um pouco mais, entre os 390 e 563 gramas.

Suas asas são curtas e possuem uma longa cauda, com olhos relativamente grandes permanecem quase imóveis. O que resulta em um campo de visão bastante limitado.

Contudo, a coruja-orelhuda tem a capacidade de girar a cabeça em mais de 270 graus de ângulo.

Dessa forma, como outras espécies de corujas e compensando sua pouca visão.

Além disso, as diferenças entre os gêneros são poucas, sendo que uma ave adulta apresenta características como:

  • Dorso na coloração marrom acanelada;
  • Coloração da barriga geralmente creme com listras marrom-escuras;
  • Face branca com um contorno aparente de uma linha negra muito bem destacada;
  • Cor da íris escura.

Coruja-orelhuda

Curiosidades

Uma curiosidade a respeito das suas características físicas é a linha negra ao redor da cabeça.

Essa linha tem função refletora sonora, onde amplia o volume dos sons auxiliando na localização de presas.

Também apresenta seus dedos e tarsos emplumados e tem a coloração da pele dos dedos em cinza-escuro e das garras na cor preta.

É necessário situar que as aves podem ser conhecidas popularmente pelos nomes de: coruja-gato e mocho-orelhudo.

Nesse sentido, coruja-orelhuda jovem quando sai do ninho apresenta uma coloração de penugem creme.

Tem sua face em coloração mais acanelada com o contorno da faixa negra.

Por sua vez, a sua cor de íris inicialmente é castanha e já nasce com os tufos no alto da cabeça.

Desse modo, já caracterizando a espécie que recebeu o nome referente aos penachos que apresentam acima suas duas orelhas, sendo as penas do tufo de coloração castanho-escuro.

Categorias

Existem na região da América do Sul três tipos de coruja-orelhuda e uma única espécie na América Central.

A sua ocorrência se dá no sul do México e seguem até o Panamá, incluindo também as ilhas adjacentes de Trinidad e Tobago

Já na América do Sul, são vistas em países como a Argentina, Bolivia, Venezuela, além do Paraguai e Uruguai.

Aqui no Brasil, as corujas podem ser encontradas praticamente todas as regiões.

Existem quatro subespécies da coruja-orelhuda ou Pseudoscops clamator, seu nome científico, sendo distribuídas como a seguir:

  • Panamá e sul do México – subespécies A.c. forbesi;
  • Norte, centro-oeste e nordeste do Brasil, Colômbia, Venezuela, Guianas e sudeste do Peru – A.c. clamator;
  • Nordeste de Trinidade e Tobago – nesses países existe a forte possibilidade das corujas-orelhudas da espécie A.c.oberi estarem extintas;
  • Sudeste e sul do Brasil, Argentina, Uruguai e leste da Bolívia – subespécie A.c. midas.

Comportamento e habitat

Como já foi dito, o habitat das corujas-orelhudas é em regiões abertas e semiabertas.

Além de savanas, borda de matas, áreas rurais e urbanas com mais arborização.

Apresenta bastante tolerância e adaptabilidade em ambientes modificados pelo homem.

Podem ser encontradas a partir do nível do mar chegando até 1.400 metros acima.

No período da noite pode sobrevoar áreas abertas a pequenas alturas, assim como pousar em postes e mourões a espera de presas.

Além dessas características, a coruja-orelhuda costuma ser muito territorialista, tendo os machos defendendo o ninho de forma ativa na época da reprodução.

Elas emitem vocalizações como alarmes e realizam voos rasantes sobre os possíveis intrusos.

Outra curiosidade, em situação de perigo essa espécie costuma inflar o seu corpo, eriçando sua plumagem.

Também estalam seu bico fazendo barulhos para afastar ou intimidar o invasor.

Alimentação e reprodução

Por causa de seu hábitos noturnos, a alimentação da coruja-orelhuda geralmente é constituída de pequenas aves e insetos grandes.

Além disso, também tem uma dieta que inclui lagartos, répteis, roedores, morcegos e pequenas cobras.

Contudo, sua base alimentar é de roedores como gambás, ratos e ratos de arroz.

Por sua vez, a sua caça a pássaros inclui pombas e até pardais quando está livre em habitat natural.

Para isso, as corujas realizam voos baixos para localizar as presas e aguardam o momento certo para a captura.

Sua reprodução inicia-se no mês de dezembro e segue até o mês de março.

Já na América do Sul seu início é no mês de agosto, cujo quais seus ninhos são confeccionados no chão e ocasionalmente em árvores.

Assim, a fêmea põe de dois a quatro ovos e permanece todo o tempo, 33 dias aproximadamente, chocando.

No entanto, somente um dos filhotes sobrevive, a causa para isso são os predadores maiores, caça predatória e atropelamentos em estradas.

Como visto você acompanhou um guia com todas as informações sobre a coruja-orelhuda.

Esta é a hora de mostrar aos seus amigos o que aprendeu sobre este querido animal. Compartilhe este artigo em suas redes sociais e não se esqueça de deixar seu comentário no post!

Outros pássaros para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *