Gralha-azul

gralha

Além da Gralha, existe uma infinidade de aves que podem ser observadas na natureza, inclusive, tal atividade tem ganhado adeptos pelo mundo todo e é até mesmo considerado um esporte, o chamado birdwatching.

Dentre as diversas espécies que tem ganhado espaço entre os observadores pássaros, esta é a Gralha. Você já ouviu falar?

As gralhas são aves relativamente grandes, as quais são cobertas por penas escuras e muito brilhantes. Tal espécie pertence ao grupo familiar dos chamados corvídeos e é muito comum ver a espécie em grandes grupos.

É comum associar a espécie a sons altos e agudos ou até mesmo a sua inteligência, pois são aves espertas e curiosas.

Outra associação comum a este pássaro é com pequenos roubos, isso porque, a ave tem o hábito de pegar pequenos objetos que lhe chamam a atenção como chaves, por exemplo.

Quer conhecer mais sobre as gralhas? Continue lendo a seguir e aprenda!

Onde vive a Gralha

Ela é um tipo de ave que vive em diferentes tipos de habitats, que vão desde florestas fechadas até ambientes urbanos.

No Brasil, a espécie habita praticamente todos os biomas, mas há uma preferência pela Mata Atlântica e também no Pantanal.

Também é possível encontrar a Gralha em estados como: Maranhão, Piauí, Ceará, Pernambuco e Bahia.

Em especial nestes lugares, a ave é conhecida popularmente como cancão e quem-quem. Além disso, este pássaro é considerado como uma espécie de voz da caatinga.

As gralhas são comuns em diversos países da América Latina, sendo comum também em algumas regiões da Europa e da Ásia.

Nas regiões mais secas preferem ficar próximas de fontes de água, mesmo que gostem de habitar localidades que são secas.

Gralha azul

Espécies de Gralhas

Ao todo existem mais de 20 espécies de gralhas, sendo que as mais comuns são:

  • Cyanocorax caeruleus, conhecida como gralha-azul;
  • Cyanocorax cayanus, conhecida como gralha-da-guiana;
guiana
Foto: Reprodução.
  • Cyanocorax chrysops, conhecida como gralha-picaça;
picaça
Foto: Reprodução.
  • Cyanocorax cristatellus, conhecida como gralha-do-campo;
campo
Foto: Reprodução.
  • Cyanocorax cyanomelas, conhecida como gralha-do-pantanal;
pantanal
Foto: Reprodução.
  • Cyanocorax cyanopogon, conhecida como gralha-cancã;

Cyanocorax cyanopogon

  • Cyanocorax heilprini, conhecida como gralha-de-nuca-azul;
nuca azul
Foto: Reprodução.
  • Cyanocorax violaceus, conhecida como gralha-violácea;
violácea
Foto: Reprodução.
  • Cyanocorax hafferi, conhecida como cancão-da-campina.
campina
Foto: Reprodução.

Todas as espécies mencionadas existem no Brasil, algumas destas vêm ao país por conta dos seus hábitos migratórios. As mais comuns no território brasileiro são a gralha-azul e a gralha-cancã.

Há ainda três tipos de gralhas que são chamadas de corvos no país, sendo elas: o corvo-pescador, o corvo-bicolor e o corvo-caseiro.

Vale situar que nesta espécie, até o momento, não é encontrado dimorfismo sexual. Ou seja, não são identificadas diferenças físicas ou morfológicas visivelmente evidentes que diferencie a gralha que macho ou fêmea.

E mais, quase todas as espécies das gralhas são extremamente territoriais e costumam defender de forma feroz o lugar que decidiu se abrigar.

Também é acostumado permanecer nas camadas que possuem nível médio e baixo da vegetação.

Além disso, fazem sobrevoo com a finalidade de buscar no solo o seu alimento. Porém, não é acostumado realizar deslocamento entre um ponto e outro. No geral, os voos categorizados como curtos e também com altura relativamente baixos.

Como criar uma Gralha?

Por se tratar de um animal silvestre é essencial ter autorização de órgãos ambientes como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Dessa maneira, ao desejar ter uma Gralha é essencial ter autorização para criar e quem sabe até comercializar esta ave.

Quem ousar criar uma ave desta espécie de pássaro em cativeiro precisa promover um espaço saudável, limpo e higienizado diariamente.

Além disso, haverá gastos especialmente elevados. Afinal, a ave é um animal silvestre que requer cuidados extremamente especiais.

No entanto, não é possível encontrar relatos sobre a melhor forma de criar uma Gralha em cativeiro.

Logo, por conta deste cenário, é obrigatória a contratação de profissionais qualificados para auxiliar no processo de criação do animal que foi retirado de seu habitat natural.

Gralha

Do que a Gralha-azul se alimenta

Uma das principais dúvidas acerca dessa ave é sobre seus hábitos alimentares, entretanto, a dieta da ave é relativamente simples, sendo composta principalmente por: plantas, insetos, grãos e sementes.

Alguns fazendeiros reclamam da presença das gralhas em regiões próximas as suas culturas, entretanto, apesar de também comer plantas, as gralhas ajudam no controle de insetos na agricultura.

Um comportamento que chama atenção é que algumas espécies costumam estocar alimentos.

Muitas colhem o alimento e depois de 30 metros costumam depositar no solo dentro da terra ou debaixo das folhagens que cobrem o chão.

Outros lugares que preferem guardar sua alimentação são geralmente em árvores que são ocas.

Esta espécie chega fazer esta atividade de guardar alimentos durante várias vezes ao dia. O que rendeu o titulo de excelente animal que realiza o papel de distribuir sementes e frutos na natureza.

A Lenda da Gralha Azul

A Lenda da Gralha Azul foi criada na região sul do Brasil, especificamente no estado do Paraná.

Esta referida lenda diz que as Gralhas são aves com a missão divina de disseminar sementes de araucária na região, de forma a ajudar os produtores da espécie.

A história conta que a ave tinha cor escura e que um dia pediu a Deus que lhe desse uma missão, Deus deu a ela uma semente de araucária e a ave pegou com grande alegria.

Depois de receber a semente divina, o pássaro comeu apenas uma parte dela e resolveu enterrar o restante para que pudesse comer depois.

Porém, a ave se esqueceu de que tinha guardado a semente e, alguns dias depois (quando se lembrou) percebeu que no local tinha nascido uma muda e resolveu cuidar dela com todo carinho.

A Araucária cresceu e começou a dar muitas sementes de pinhão e a ave começou a comer uma parte da semente e guardar a outra, assim como tinha feito da primeira vez.

Em poucos anos, a gralha foi responsável por plantar milhares de sementes no Paraná e deu origem a floresta de Araucária do estado.

Deus percebeu que a ave fez um bom trabalho e resolveu presentea-la com penas da cor do céu. E o pássaro que era de cor escura, tornou-se azul.

A Lenda da Gralha Azul é um fato real, uma vez que a espécie tem o hábito de enterrar as sementes.

Para ajudar ainda mais na germinação, a ave tem o hábito também de cobrir com folhas o local em que enterra as sementes e isso oferece nutrientes para que a muda se desenvolva.

Gralha-azul

Como este pássaro se reproduz

A reprodução das gralhas acontece entre os meses de outubro a março, sendo que os ninhos são construídos coletivamente nas partes mais altas das árvores.

Nestes ninhos abrigam cerca de 4 ovos, os quais possuem coloração azulada.

Após 45 dias, os filhotes começam a se alimentarem sozinhos e depois já iniciam a etapa de deixar o ninho.

Quando se sentem ameaçadas por predadores, a Gralha possui um sistema de defesa que avisar a todos os animais por meio de seu canto.

Este comportamento é frequente quando elas encontram seu principal predador, qualquer espécie de cobras.

Seu canto é tão poderoso que chega unir o seu bando e até outras espécies de aves com o objetivo de defender de cobras.

Canto

As gralhas possuem canto agudo, ao mesmo tempo em que são melodiosos. Se quiser ouvir o canto da gralha:

Geralmente o canto não varia muito de espécie para espécie, entretanto, algumas tendem a ser mais agudas, como é o caso da Gralha do Pantanal.

No geral, o canto não varia muito de espécie para espécie, entretanto, algumas tendem a ser mais agudas, como é o caso da Gralha do Pantanal.

Há algumas espécies que ao cantar, automaticamente levantam a sua cauda e também a crista.

Além do seu canto natural, a ave possui uma habilidade de produzir um leque variado de sons que são utilizadas conforme as situações que se encontrar no momento.

Nesse sentido, há o canto de como alerta, chamado, dentre outros. Como se não fosse suficiente, a gralha também tem o talento de conseguir imitar outras aves.

Qual a diferença entre o Corvo e a Gralha

É muito comum associar a gralha ao corvo, ocorre que na verdade, as duas espécies são como “parentes” próximos.

A principal diferença entre o Corvo e a Gralha está especialmente no tamanho, na medida em que as Gralhas tendem a ser menores que os corvos.

Ademais, as espécies compartilham diversas características em comum, principalmente no que se refere aos hábitos alimentares e as características comportamentais.

Considerações finais

A Gralha não está na lista de animais que correm risco de extinção, inclusive, o seu quadro é considerado de pouca preocupação.

Tudo indica que este cenário se deve ao fato de não haver procura do animal pelo tráfico e comércio ilegal de animal.

Porém, é essencial buscar preservar seu habitat natural, pois muitas espécies de aves estão na lista de extinção por conta do desmatamento ilegal que ocorre dentro do território nacional.

E mais, a Gralha, como grande parte dos animais da fauna e flora tipicamente brasileira, ocupa um espaço especial na cultura regional e local de diversas populações.

Por conta deste cenário é essencial buscar preservar o habitat para que estas populações não sofram com o desaparecimento da espécie futuramente.

Outros pássaros para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *