Coruja Bufo-real

coruja bufo-real

O bufo-real é uma das grandes espécies de corujas do planeta.

Além disso, integra a lista de maiores aves de rapina do mundo e seu canto singular é um dos traços mais marcantes.

No entanto, por causa das atividades humanas, ela está à beira da extinção.

Quais são as principais características do bufo-real?

O nome científico dessa ave é Bubo bubo, que tem origem latina e faz referência ao pio dessa coruja.

Além disso, ela pertence à família dos Estrigídeos, um grupo de espécies que têm como traço principal os hábitos noturnos, bem como, a preferência pelo consumo de invertebrados e pequenos invertebrados.

Essa ave, dependendo da região, recebe outros nomes, por exemplo:

  • Corujão;
  • Mocho-real.

Essa coruja também impressiona pelas penas, que são marrons e malhadas com mesclas de branco, preto e marrom em diferentes tons.

Assim como outros membros da mesma família, o bufo-real tem tufos de plumagem nas laterais da cabeça, que assumem o formato de orelhas.

Qual é o tamanho de um bufo-real?

Essa ave pode medir até 2,10 metros e pesar mais de 5 kg.

No entanto, essas medidas variam de acordo com a região na qual elas vivem e com a dieta disponível.

Esses números a colocam como a maior coruja do planeta e maior ave de rapina do Paleártico Ocidental, que inclui Europa, norte da África e alguns países do Oriente.

Qual é a alimentação do bufo-real?

Exímia para caçar a própria comida, entre as preferências dessa coruja estão coelhos, lebres, ouriços, roedores, pombos, raposas, lontras e até mesmo outras aves de menor porte.

Além disso, ela já foi registrada capturando filhotes de cervos e cordeiros, o que a torna temida por pecuaristas.

Caçador solitário

Um aspecto marcante dessa coruja é o fato dela preferir a solidão e só se juntar a outro membro da espécie no momento da reprodução.

Esse hábito é compartilhado por indivíduos machos e fêmeas, então não é um traço sexual.

coruja bufo-real empoleirada
O bufo-real sofre ameaças diárias em razão da ação humana. Imagem do site Wilder

Qual a distribuição geográfica do bufo-real?

Essa ave é nativa de territórios da Europa, Ásia e África e pode ser encontrada, principalmente, no nordeste europeu, sobretudo na zona que circunda o Mar Mediterrâneo.

Além disso, ela prefere regiões mais remotas e rochosas, onde pode fazer ninhos e viver longe da presença humana.

Assim, o que mede a fixação da espécie em um local é:

  • Fartura de alimentos;
  • Paisagens heterogêneas que facilitam a caça;
  • Locais propícios à reprodução.

O bufo-real pode se adaptar às áreas mais diversas, como os desertos africanos com temperaturas elevadas e as tundras asiáticas, onde predomina o frio.

Assim, não são aves muito exigentes desde que não sofram com a escassez de comida e falta de abrigo.

Essa coruja é encontrada em ambientes mais abertos, que favorecem os voos rasantes e mergulhos.

Dessa forma, é raro que ela esteja presente em florestas mais densas.

No entanto, se não conseguir alimentos na região na qual está fixada, ela migra rapidamente.

A distribuição dessa espécie é totalmente atrelada à oferta de comida.

Mimetismo

A aparência do bufo-real, o que inclui a intensidade dos tons das penas ao tamanho, tem relação com o habitat escolhido por ela.

Por isso, muitos cientistas encontraram diferenças tão notáveis entre membros da mesma espécie que decidiram realizar testes de DNA para confirmar.

YouTube video

Quais são as ameaças ao bufo-real?

Hoje, a espécie está em risco de extinção em razão das ações humanas.

Essa ave não é alvo do tráfico de animais, mas enfrenta uma série de perigos por causa de caçadores, que a enxergam como uma rival para o abate de presas e de pecuaristas, que tentam exterminá-la quando ela tem como alvo animais criados para consumo, como ovelhas e cordeiros.

Meio ambiente

Outro ponto importante é a destruição do habitat desses animais.

Com o avanço das mudanças climáticas e a expansão urbana, a distribuição dessas aves se tornou rara em várias regiões nas quais era dominante e abundante.

Intoxicação causa devastação da bufo-real

A proximidade de pastagens e criações próximas ao habitat desses pássaros exóticos motivou muitos ataques de corujões a animais de fazenda.

Por isso, muitos pecuaristas passaram a colocar iscas com veneno para matá-las ou instalar armadilhas.

Dessa forma, essa espécie teve um duro golpe em suas populações nos últimos 60 anos.

Tiro ao alvo

A caça, ainda mais na região da Península Ibérica, colocou essas aves em uma situação complicada.

Afinal, a coruja se alimenta dos mesmos animais que estão na mira de caçadores.

Assim, elas se tornaram uma vítima e são encontradas feridas com balas de chumbo, as que têm a sorte de sobreviver, muitas vezes, não podem ser devolvidas à natureza e são condenadas ao cativeiro.

coruja bufo-real sob um toco de madeira
A coruja bufo-real vive em regiões remotas da Europa, África e Ásia, estabelece moradia de acordo com a oferta de alimentos. Imagem de greyman no FreeImages

Conheça curiosidades do bufo-real

Essa gigante dos céus reúne uma série de hábitos e de atributos que confirmam o quanto essa espécie é impressionante.

Afinal, apesar do tamanho, tem um voo bem silencioso, isso ocorre porque existe um mix de textura de penas que varia do rígido ao flexível e cria uma superfície aveludada ao toque, o que a torna uma caçadora muito eficiente.

Outra característica interessante são as garras potentes e afiadas e o bico, que é muito mais curto que a de outras corujas.

No entanto, apesar desses traços exclusivos, o bufo-real é muito forte e consegue rasgar suas presas da mesma forma que outras aves de rapina.

Além disso, tem um sentido muito aguçado e é capaz de planar sobre seus alvos sem projetar a própria sombra.

Idade e reprodução

Essa coruja costuma viver entre 10 e 20 anos, quando se fixa em locais seguros e livres da interferência humana.

No entanto, esse número pode aumentar se ela estiver em cativeiro.

Após chegar à maturidade sexual, por volta dos três anos, a ave costuma ficar com o mesmo parceiro durante vários ciclos reprodutivos.

Os ninhos costumam ser construídos em troncos de madeiras ou áreas pedregosas de difícil acesso.

Além disso, essa coruja coloca até quatro ovos por ano.

O início do processo de reprodução é em janeiro, enquanto a postura ocorre entre março e abril.

Assim, o tempo de incubação é de 30 a 35 dias e em pouco mais de 60 dias, os bebês já ensaiam os primeiros voos.

YouTube video

Proteção

Com o declínio da espécie em liberdade, os países onde essa coruja é nativa investem em políticas de proteção e punem quem as descumpre.

Dessa forma, a longo prazo, espera-se que o bufo-real, que agora sofre com a ameaça de extinção, consiga se recuperar.

Avalie este pássaro: post

Outros pássaros para você:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *