Araracanga

casal de arara vermelha

Também conhecida como Arara-vermelha, a Araracanga é a terceira maior ave da espécie Ara muito conhecida no continente. Essa é a famosa espécie usada para enfeitar no primeiro mapa feito para descrever o território do Brasil.

Ela é conhecida pelas suas forte e exuberantes cores que representam muito bem a fauna do Brasil.

E apesar de ter sumido de alguns territórios onde era muito comum serem vistas não é considerada em ameaça de extinção.

aracanga rita barreto
Foto: Reprodução.

Detalhes físicos da Araracanga

Primeiramente, é importante saber que a Araracanga é uma das três maiores espécies do seu gênero, o Ara.

Dessa maneira, essa ave apresenta um tamanho em média de 85 a 91 centímetros e pesa mais ou menos 1,2 kg.

Além do mais, nas penas desses animais predomina a cor vermelha e verde, já suas asas possuem as cores azul e amarelo.

Também, a plumagem da cabeça tem uma cor branca com olhos que podem variar entre branco ou amarelo.

Ademais, essa ave apresenta pernas pequenas e uma cauda consideravelmente comprida em relação às outras espécies.

Acrescenta-se as suas características físicas um bico largo e forte que o ajuda na alimentação.

Araracanga macho e femea

Hábitos de alimentação

Essas aves costumam se alimentar juntamente com seus grandes grupos e possui uma preferência por sementes de frutos ainda verdes.

Mas, frutos maduros também enchem seus olhos, assim como outros alimentos como:

  • Folhas;
  • Larvas;
  • Flores;
  • Broto;
  • Néctar.

Não só desses alimentos orgânicos a Araracanga se alimenta, mas também de terra para obter seu nutrientes e sais minerais.

Além disso, no estômago desses animais, essa areia faz parte da digestão, já que tritura os alimentos.

Esses hábitos alimentares ainda apresentam uma grande importância ecológica já que preferem consumir sementes.

Assim, elas são consumidas e quando saem nas fezes e são deixadas no ar caem no solo fertilizando-os.

Araracanga arara vermelha

Hábitos reprodutivos

Os casais dessa espécie de ave são fiéis e inseparáveis, sendo assim, costumam ser monogâmicos até a morte.

Logo, juntos, constroem o ninho e nidificam geralmente em troncos de árvores ou em fendas de rochas.

Então, um tempo após a cópula as fêmeas colocam em média três ovos que são chocados entre 22 e 34 dias.

Durante esse período elas são alimentadas pelo macho e passado esse tempo cada filhote nasce em dias diferentes.

Os filhotes

Quando todos os ovos chocam, os pais continuam com o cuidado parental pois eles estão indefesos e cegos.

De certo, ambos, macho e fêmea de Araracanga defendem o ninho para que não seja atacado por mamíferos e répteis maiores.

Alimentação das crias

Os pais são os responsáveis por alimentar suas crias a partir da papa que eles regurgitam na boca dos filhotes.

Dessa maneira, permanecem assim por dois ou três meses e após isso, deixam o ninho, mas permanecem junto aos pais.

A plumagem desses filhotes só se iguala a de um adulto após dois anos de vida.

Também, a maturidade sexual só é atingida após três anos e se não acontecer nenhum contratempo do meio, vivem de 40 a 60 anos.

Modo de vida da Araracanga

São animais de altas altitudes, visto que preferem viver em locais mais altos do que mil metros de alturas.

Salienta-se ainda que vivem nas partes altas de florestas tropicais e úmidas, embora desça ao solo em algumas vezes.

Para construir seus ninhos a Araracanga prefere locais próximos de rios para conseguir água de modo natural.

Paralelo a isso, gostam de tomar longos banhos de chuva e outro hábito que costuma ter é roer muita madeira.

Comportamento da Araracanga

Eles não costumam realizar exímios voos, uma vez que não possuem grandes fôlegos mas gostam de escalar árvores e fazer acrobacias.

Além do mais, costumem se divertir com objetos com todos os tipos de coisas que encontram.

Por causa do seu tamanho não possui muitos inimigos já que costumam ser maiores do que a maioria deles.

É incomum mas, alguns felinos, aves de rapina ou de porte maior do que eles podem preda-los.

Distribuição geográfica e população

Essa ave tem uma grande ocorrência em toda a região da américa do sul, principalmente no Brasil, nos estados da região norte. São eles:

  • Mato Grosso;
  • Pará;
  • Maranhão.

Portanto, além desses estados do Brasil, alguns países da américa central também abrigam esses animais:

  • Nicarágua;
  • Honduras.

Sua população total estimada por pesquisa da União Internacional para a Conservação da Natureza é 20 mil e 50 mil indivíduos.

Apesar dessa grande quantidade de animais, sua população está a cada dia decrescendo mais.

Mesmo com a constatação desse declínio, a espécie não é classificada como em ameaça de extinção na natureza.

Contudo, existe um acordo dos ornitólogos e dos órgãos de preservação que ela precisa de atenção.

Subespécies

A primeira descrição histórica feita da Araracanga foi do zoólogo e botânico Lineu que constatou sua existência em 1758. Desde então, foi caracterizada como um espécie monotípica, ou seja, se sabia que não existiam subespécies.

Com isso, a União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Nacionais também fez esse reconhecimento.

Entretanto, há alguns anos foi reconhecida a divisão desse animal em duas subespécies distintas:

  • Ara macao– presente na Costa, na Colômbia, nas Guianas, no Brasil, no Peru e na Bolívia;
  • Ara macao cyanopterus– ocorre do Sudeste do México até a Nicarágua.
Araracanga voando
Foto: Reprodução.

Conservação da Araracanga

Com efeito existem muitos motivos para estar preocupado com o declínio total da população dessas aves. Mesmo com esses fatos, os esforços para evitar a caça predatória que ameaça a sua existência tem sido muito insuficientes.

As principais ameaças à esses animais são:

  • A caça predatória;
  • Tráfico ilegal.

Em alguns países a Araracanga já foi extinta e em outros ela simplesmente desapareceu e em algumas ela já está ameaçada como:

  • El Salvador;
  • Leste do México;
  • Panamá;
  • Nicarágua.

casal de arara vermelha

Criação da Araracanga

Para criar um animal desses, são necessários cuidados básicos e até afetivos, pois muitas aves sem a devida atenção acabam morrendo.

Por outro lado, alguns cuidados devem ser tido diariamente como trocar a água e limpeza.

Os comedouros e bebedouros precisam ser limpos para não formar bolores ocasionadas por restos de comidas.

Também, é importante deixar uma pequena banheira, já que eles têm o hábito de se banhar para refrescar.

Outros pássaros para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *