Ararajuba

Ararajuba

As Ararajubas são aves que tem algumas características diferenciadas em relação às outras espécies, principalmente, por conviverem em bandos.

São aves que estão classificadas como em perigo de extinção.

A Ararajuba é uma ave tipicamente brasileira e foi cotada para ser a ave símbolo do Brasil.

Se quer conhecer seus vários nomes de origem tupi, continue lendo! Vamos passar essas informações e muito mais.

Origem da Ararajuba

Origem da Ararajuba

A Ararajuba é tipicamente brasileira, do sudeste do Amazonas, do oeste do Maranhão e do nordeste do Pará.

Além disso, a Ararajuba é conhecida por diferentes nomes.

De fato, todos são de origem indígena e fazem referência a algum detalhe da sua aparência.

Confira abaixo os nomes mais comuns dessa ave brasileira:

  • Tanajuba;
  • Marajuba;
  • Guamba;
  • Guaruba;
  • Guaruba guarouba;
  • Aratinga guarouba;

O significado do nome Guaruba guarouba em sua origem indígena tupi é de “pássaro amarelado” ou “pássaro amarelo”.

Por isso são consideradas como aves que tem a cor do Brasil (verde e amarelo).

Como também seu nome foi cogitado para representar a ave símbolo do país. No entanto, acabou perdendo o lugar para o Sabiá.

Ararajuba e o perigo de extinção

Ararajuba e o perigo de extinção

A quantidade de Ararajuba está em declínio, sendo que atualmente não deve ultrapassar a marca de três mil aves.

É uma espécie ameaçada pela caça ilegal bem como pela destruição das florestas, que é seu habitat natural.

Além desses aspectos, um ponto de grande ameaça para elas está nas suas principais áreas de ocorrência.

Esse perigo ocorre porque são áreas de conflitos pela posse da terra, exploração madeireira e frequentes inundações.

Em algumas culturas esta ave é tida como uma praga por se alimentar do milho cultivado na região. Desse modo, elas são caçadas para alimentação ou passatempo.

Ademais, é importante destacar que o nome da Ararajuba está na Lista das Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção, do IBAMA, 2003. As aves mais protegidas são as que vivem na:

  • Floresta Nacional do Tapajós
  • Reserva Biológica do Gurupi

De acordo com Nívia Pereira, gerente do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Idelfor-rio): para ocorrer a reintrodução da espécie “devemos determinar as estratégias para aumento da população”.

Entretanto, as aves que vivem em outras regiões estão muito mais indefesas e ameaçadas.

Assim, medidas de maior alcance são necessárias para que se possa obter resultados satisfatórios.

Preservação da Ararajuba

Preservação da Ararajuba

Algumas medidas foram executadas para tentar evitar a extinção da espécie, atuando em termos de curto e longo prazo, sendo elas:

Medidas de Curto Prazo

A prioridade foi a criação de Estações Ecológicas em algumas áreas da Floresta Amazônica, no Maranhão.

Pois possuem um grande número de árvores altas com “ocos”, que são espaços preferidos da espécie para ninhos.

Como também devem dispor de profissionais especializados nos cuidados de aves desse tipo para garantir:

  • Controle de alimentação;
  • Contagem semestral do número de aves na área;

Além disso, os equipamentos destinados para o estudo e vigilância da zona demarcada são:

  • Vigilância via satélite;
  • Instalação de câmeras em locais próximos a estradas e cidades.

Medidas de Longo Prazo

Estão relacionadas com o plantio de árvores de tronco alto com “ocos” nos espaços de preservação de mata ciliar.

Com isso formando corredores ecológicos ligados as áreas de Estações Ecológicas.

Características da Ararajuba

Características da Ararajuba

É uma ave Psittaciforme da família Psittacidae. Ou seja, está entre as aves que são mais inteligentes e conseguem imitar todos os tipos de sons, inclusive palavras.

Além disso, a sua expectativa de vida é de cerca de 35 anos em condições favoráveis ao seu desenvolvimento.

Uma outra característica diferenciada é que a Ararajuba tem dois dedos voltados para frente e dois para trás.

Enquanto nas outras aves são três dedos voltados para frente e apenas um para trás.

Elas podem medir de 34 a 36 centímetros e pesarem em torno de 20 a 30 gramas.

Além disso, possuem uma plumagem amarelo vivo com asas verdes brilhosas. O bico é cinza e curvado e em torno dos olhos tem anéis rosa claro.

Já os filhotes têm a plumagem quase toda verde com os anéis em torno dos olhos cinza claro.

Os filhotes também tem o comprimento da cauda um pouquinho mais curto do que o comprimento do corpo.

De forma geral elas têm uma postura parecida com o papagaio e são menores que as araras.

A Ararajuba vive em bandos que contam com cerca de 40 aves. Além disso, estes são divididos em grupos menores e com tamanhos variados.

Todavia, mesmo em cativeiro elas necessitam de companhia. Pois se ficarem isoladas e sem atenção podem vir a adoecer e até mesmo se machucarem.

Como vivem em bandos elas trabalham de forma cooperativa com a divisão de tarefas algumas ficam responsáveis por procurar alimentos enquanto outras estão de vigilância e proteção contra predadores no topo das árvores.

Ademais, quando escolhem um parceiro irão viver com ele por toda a vida.

São aves muito sociáveis por interagirem de forma intensa com todos que conhecem. Podemos considerar que são aves sempre mansas e sociáveis.

Alimentação da Ararajuba

Alimentação da Ararajuba

Quando estão em habitat natural costumam se alimentar de frutos oleosos e flores caídas pelo chão.

Também é possível que se alimentem de sementes de caju, açaí, anani e especialmente murici, milho e amendoim.

Em zoológico são alimentadas com sementes como alpiste e girassol. Contudo, é importante receberem também uma alimentação com legumes, verduras e frutas, especialmente maçãs.

Reprodução da Ararajuba

Reprodução da Ararajuba

A época de reprodução da Ararajuba ocorre de novembro até fevereiro

A fêmea alcança a maturidade sexual a partir dos três anos de vida.

O namoro começa com o penteamento mútuo da plumagem. Em seguida, o ato da cópula é bem rapidinho, dura cerca de 2 minutos.

Desse modo, a fêmea fará uma postura em torno de 4 ovos, que serão chocados por até 30 dias.

Além disso, irá revezar com o macho a tarefa de chocar os ovos.

Durante esse período até a voz delas passa por alterações. Elas irão trocar o “crá, crá, crá” por um “cuó, cuó, cuó”.

Se a reprodução for em seu habitat natural os casais receberão ajuda do bando para criar os filhotes.

A preocupação com o ninho tem início logo após a cópula, quando o casal inicia a busca na região de um bom lugar para o ninho.

De preferência, o ninho coletivo será construído em uma árvore alta, em torno de 15 a 30 metros de altura.

Além disso, a árvore deverá ter várias entradas e uma cavidade de mais de 2 metros de profundidade.

Desse modo, a entrada do ninho é um túnel que passa pela árvore e no final sai em uma câmara, que será utilizada para postura coletiva.

Apesar de pronto, as aves estão sempre escavando o ninho e mantendo diversas entradas.

Pois isso é necessário para proteger o ninho dos predadores. Além do que vários casais cuidarão de seus filhotes.

Dessa forma, a alimentação é a partir das 6 horas da manhã e se repete até 8 vezes ao dia.

É interessante que quando as aves chegam na entrada do ninho levando comida fazem uma vocalização para atrair a atenção dos filhotes. Imediatamente, estes vão para a entrada e também começam a vocalizar.

Em alguns grupos, os filhotes pernoitam sozinhos e os pais vão para um ninho em uma árvore separada. Já em outros, os pais vão passar a noite com os filhotes.

Quando chega o momento de os filhotes começarem a sair do ninho e dar seus primeiros voos são acompanhados pelos pais. Além do que, depois de jovens ainda são alimentados pelo grupo por algum tempo.

Outro aspecto importante é que quando os filhotes são retirados do ninho, o macho e a fêmea retomam o processo de reprodução.

Curiosidades sobre a Ararajuba

Curiosidades sobre a Ararajuba

O bando de Ararajuba é muito territorial no sentido de não aceitar outras espécies em sua área de ninhos. Tais como rapineiros, tucanos, e outros papagaios.

Para proteger seu território chegam mesmo a utilizar de técnicas agressivas de ataque.

No entanto, já são mais tolerantes com corujas e morcegos. Tem como principais inimigos os tucanos, os macacos, os iraras e as serpentes.

Criação legal em cativeiro

Criação legal em cativeiro

Para conseguir uma Ararajuba de forma legal você necessita de autorização do IBAMA. Além disso, uma ave legalizada está custando em torno de R$4000,00.

Nesse sentido, alguns cuidados devem ser observados para que você possa ter êxito na sua intenção de criar uma Ararajuba:

  • Certeza de origem legal para solicitar autorização do IBAMA para ter o animal em casa;
  • Preparar a documentação e verificar a saúde da ave;
  • Criar mais de um animal para que este não fique estressado;
  • Limpeza diária do viveiro com a troca de água e alimentação;
  • Borrifar água impa pelo menos uma vez por semana nas penas.

Conhecendo as características da Ararajuba já deu para você perceber que é uma ave ideal para ser criada em casa com autorização do IBAMA, é claro.

Como também você necessitará de um espaço adequado para montar um viveiro e encher de brinquedos, que elas adoram.

Gostou das informações sobre a ararajuba? Então compartilha o post com seus amigos nas redes sociais e deixa seu comentário abaixo!

Avalie este pássaro: post

Outros pássaros para você:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *