Galinha D’água

Galinha d'água

A galinha d’água é uma ave de plumagem na cor cinza escuro e com linhas brancas abaixo da asa. A base do bico e as patas são amareladas.

Além disso, em sua cabeça há uma espécie de escudo da cor vermelho. O vermelho também surge na divisão do corpo e as pernas do pássaro.

Este tipo de ave consegue sobreviver em países como Brasil, Argentina, Uruguai, Canadá, Panamá, Colômbia, Equador, Peru e Chile.

galinha d'agua-0001
Foto: Reprodução.

Distribuição

Ao redor do mundo já foram catalogadas pelo homem, a quantidade de 12 subespécies da galinha d’água.

Esta ave aquática pode ser encontrada em todo extenso território brasileiro.

Inclusive, a galinha é vista em regiões da zona rural e também encontrada até na região urbana e pequenas e grandes cidades.

Elas costumam frequentar lagos, bosques, parques, açudes, riachos, valas, várzeas e brejos que ficam localizadas dentro das cidades ou nas áreas rurais.

Além do Brasil, este animal também está presente em todo o continente americano.

Logo a ave pode ser vista em países como Brasil, Argentina, Uruguai, Canadá, Panamá, Colômbia, Equador, Peru e até Chile.

Este tipo de galinha aquática também é adaptado aos climas asiáticos, europeu, africano e oceânico.

Dessa forma, a galinha d’água sobrevive até em países como Palau, Malásia, Madagascar, Barbados e Seychelles.

A ave prefere frequentar e viver em águas abertas que são resguardadas com arbustos, matagal, capim ou qualquer tipo de vegetação.

Com o objetivo de proteger de seus predadores, além de ser mais seguro para a galinha fêmea realizar a chocagem dos ovos de seus filhotes.

galinha d'agua-0000

Nome Científico da Galinha d’água

Aqui no Brasil, a espécie galinha d’água recebe o nome científico de Gallinula galeata e pertence à família Rallidae.

O nome científico Gallinula galeata está no latim e significa pequena galinha com capacete ou pequena galinha com capacete romano.

Já em outras regiões do país, a galinha d’água pode ser conhecida e chamada popularmente como peituda, galinhola, frango d’água ou jaçanã-galo.

No continente americano, é possível encontrar, basicamente, seis subespécies de galinha d’água, são elas:

  • Gallinula galeata galeata sobrevive na América do Sul, especialmente em países como no Brasil, Uruguai, Argentina e Caribe;
  • Gallinula galeata cacahinnans habita a América do Norte como no Panamá, Canadá, Galápagos e Ilha das Bermudas;
  • Gallinula galeata cerceris são vistas vivendo nas Antilhas do Caribe, Barbados e Trinidad;
  • Gallinula galeata garmani é catalogado no Chile, Bolívia, Argentina e Peru;
  • Gallinula galeata pauxilla são encontradas na Colômbia, Peru, Equador e Panamá;
  • Gallinula galeata sandvicensis é identificado no Havaí.

Já nos continentes asiático, europeu, africano e oceânico foram catalogadas mais seis subespécies da galinha d’água, veja:

  • Gallinula chloropus chloropus é listada na África, Europa e Ásia, principalmente em países como Sibéria, Malásia, Cabo Verde e Japão.
  • Gallinula chloropus orientalis vive na Indonésia, Malásia, Filipinas e Seychelles, por exemplo.
  • Gallinula chloropus meridionalis habita a África.
  • Gallinula chloropus pyrrhorrhoa que estão sobrevivendo em Madagascar e, em território Francês, nas Ilhas Reunião.
  • Gallinula chloropus guami que é uma subespécie exclusiva do território americano chamado Ilhas Marianas.
  • Gallinula chloropus barbadensis que é nativa de Barbados, entre a América Central e Sul.

habitat galina d'agua

Canto da Galinha d’água

A ave aquática chama atenção das pessoas por conta de sua beleza que é muito atraente.

Ela possui plumagens na cor cinza escura, penas brancas abaixo das asas e cauda curta que é pontiaguda.

O bico do animal é extremamente pontudo e tem a tonalidade amarelada.

Depois do bico há uma espécie de pele que tem a cor vermelha. Ela se estende até a extremidade da sua cabeça.

Para muitas pessoas que conhecem a ave, a parte vermelha é chamada de escudo.

As pernas também são amareladas e podem ganhar um tom esverdeado com o passar do tempo.

Os seus dedos da ave são longos e as unhas são bastante pontiagudas.

A cor vermelha também surge na divisão do corpo e as pernas do pássaro em uma espécie de faixa.

Já a galinha d’água da America do Sul, especialmente a ave brasileira, tem em média de 30 a 38 centímetros de largura e peso em até no mínimo 340 gramas.

Todas essas características torna a pequena galinha aquática capaz de possuir uma capacidade vocal aguda exclusiva e estridente, emitindo o seguinte canto: “kürrrk” ou “ki-ki”.

Ela é uma ave que gosta de emitir sons e, com isso, terminam produzindo uma grande multiplicidade de barulhos esquisitos, peculiares e distintos.

 

Galinha D’água é criada em Cativeiro?

A galinha d’água começa ser caçada e abatida pelos seres humanos a partir do mês de março.

Esse é o período do ano em que as aves aquáticas estão fazendo as trocas de penas.

Com a troca da penugem, a galinha está fragilizada por ter a qualidade do seu voo prejudicado.

O que facilita capturar a ave nos lagos, bosques, parques, açudes, riachos, valas, várzeas e brejos.

Além da ave, os seres humanos também gostam de caçar e roubar os ovos.

O hábito de caçar os ovos tem prejudicado as galinhas d’água, uma vez que esse costume antigo contribui para a diminuição da sua espécie na natureza.

A carne e os ovos da galinha aquática são consumidos pelos brasileiros em comidas típicas regionais próprias de cada estado do país.

Além do ser humano, a galinha d’água tem também como predadora, os animais como raposas, cachorros, guaxinins, répteis e gatos selvagens.

Os predadores dependem muito da região, país e continente em que as galinhas aquáticas estão vivendo.

A criação desta ave em cativeiro não existe, até o momento, na literatura científica.

Mas o contato com outros animais na zona rural, principalmente com as galinhas comuns, fazem com que a galinha d’água deposite seus ovos nos galinheiros convencionais em fazendas e chácaras, por exemplo.

galinha d'agua-0000
Foto: Reprodução.

Reprodução

Esta ave está pronta para reproduzir na estação denominada como primavera.

Assim como o papagaio-comum, a galinha aquática é totalmente monogâmica.

A fêmea costuma ter apenas um único companheiro nos períodos do acasalamento, gestação e reprodução.

Na natureza, o macho precisa conquistar a fêmea por meio da produção de cantos e reprodução de sons agudos e gritantes.

Nesse momento, também há disputas físicas territórios entre outros pássaros machos.

Por sua vez, no período do acasalamento, as fêmeas já constroem seus ninhos nas margens de lagos, bosques, parques, açudes, riachos, valas, várzeas e brejos.

Os ninhos são instalados em lugares escondidos e de difícil acesso na vegetação.

Esses ninhos são construídos com restos de folhas, plantas aquáticas e pequenos gravetos no formato de cesto.

A construção do ninho consegue demorar até oito dias e o macho também auxilia na edificação e instalação da habitação.

A gestação tem a duração de apenas 20 dias e a fêmea e o macho se revezam na chocagem dos ovos.

Os ovos possuem casca da cor marrom, rosado ou branca e é cheia de pontos mais escuros.

As galinhas d’água conseguem gerar até no máximo 10 ovos que precisam ser chocados por no mínimo 19 dias.

A primeira penugem dos filhotes é da cor negra. O bico tem a ponta cor amarela e depois do bico surge uma tonalidade rosa. Já as patas são pretas.

Os filhotes ficam no ninho de 1 a 2 dias e, em seguida, começam seguir a mãe em busca de alimentação.

Em apenas algumas semanas, os filhotes se tornam autônomos e, por consequência, deixam de acompanhar a mãe.

galinha d'agua-0004
Foto: Reprodução.

Alimentação

A alimentação desta ave, quando livre na natureza, é composta de pequenos peixes ou girinos, vegetais, insetos, frutos e sementes.

Devido estar, cada vez mais, presente na zona urbana, à ave insere na sua alimentação lixo e carniça.

Como possui a capacidade de flutuar na água, a ave consegue se alimentar próximo a vegetação aquática.

A ave captura comidas que estão flutuando na água ou no solo das margens de lagos, bosques, parques, açudes, riachos, valas, várzeas e brejos.

Em alguns momentos, também são capazes de mergulhar na água para capturar seu alimento no fundo lagos, por exemplo.

frango d'água

Armadilha para capturar Galinha d’água

A captura do frango d’água é realizada geralmente por armadilhas desenvolvidas especialmente para capturar a ave.

As armadilhas são instaladas nas margens de lagos, bosques, parques, açudes, riachos, valas, várzeas e brejos.

Afinal, esse é o habitat natural da famosa e precisa galinha aquática selvagem.

A armadilha mais utilizada para pegar esta ave é chamada popularmente de arapuca.

Esta arapuca é muito utilizada pelas pessoas que residem na zona rural do Brasil.

Ela pode ter o formato arredondado ou quadrado, sendo construída por gravetos, bambu ou galhos e barbantes.

Dentro da armadilha, às vezes, são depositados galhos, folhagens e até comida para atrair a ave.

Os galhos e folhagens que são colocados dentro da armadilha tem o objetivo de fazer a camuflagem.

Dentro da arapuca há um sistema feito com barbante ou gravetos que é capaz de trancar a ave quando adentrar a armadilha.

No momento em que a ave adentrar a arapuca. Ela pisará no barbante ou no graveto e automaticamente é fechada a porta de entrada da armadilha.

Essa é a armadilha mais utilizada pelas pessoas, uma vez que se configura como sendo uma técnica capaz de preservar a saúde do pássaro.

Outros pássaros para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *