Caburé

caburé

A coruja-caburé é um pássaro que está presente em praticamente todo o território nacional.

Ele é possível ser encontrado na natureza da América do Norte, América Central e América do Sul.

Já em alguns estados do Brasil, a coruja caburé pode ser conhecida popularmente por outros nomes.

Nesse sentido, você pode conhecer esta linda ave pelos nomes: caboré, caburé-do-sol, caburé-ferrugem, caburézinho e cauré

Então, neste artigo vamos falar sobre a coruja-caburé, considerada a menor coruja brasileira.

Vamos falar sobre as suas características, hábitos alimentares, reprodutivos e onde pode ser encontrada no Brasil e em outros países.

Também abordaremos curiosidades a respeito dessa linda espécie de coruja presente em praticamente todo o território nacional. Confira!

Caburé

Principais características da Coruja-Caburé

Também sendo conhecida como caboré, caburé-do-sol, caburezinho, caburé-ferrugem e cauré, essa corujinha tem características similares as corujas de sua espécie.

Seu nome originado do tupi kabu´ré também pode ser conhecida pelo nome científico Glaucidium brasilianum. Que tem o significado de “pequena coruja do Brasil” e em inglês é conhecida por Ferruginous Pygmy-Owl.

Ela pertence à família Strigidae e da ordem dos strigiformes seu estado de conservação apresenta-se pouco preocupante.

Dessa forma, ainda não foi identificado haver algum risco de extinção.

Apesar de pequena, a coruja-caburé se destaca como uma astuta ave de rapina, podendo, inclusive, capturar presas bem maiores que o seu próprio tamanho.

Além disso, possui hábitos diurnos e noturnos, sendo que suas características principais é o desenho de dois olhos na parte posterior da cabeça.

Desse modo, enganando e distraindo predadores e até mesmo humanos.

Caburé

Descrição da coruja-caburé

A coruja-caburé pode medir entre 17 e 20 centímetros de comprimento, classificando a espécie como a menor coruja do Brasil.

No geral, o peso dos machos pode ficar entre 46 e 74 gramas e da fêmea entre 62 a 95 gramas.

Além disso, a caburé apresenta plumagem polimórfica, isso é, apresenta muitas variações de plumagens.

Ela também pode ser em colorações cinza, ferrugem, marrons e intermediárias a essas.

A sua aparência mais comum a de formação marrom, tendo o dorso na cor marrom apresenta variações de manchas brancas pequenas.

Seu ventre apresenta cores de marrom-acastanhado e sua face também segue o mesmo padrão.

Por sua vez, sua sobrancelha é de coloração branca e as faixas presentes na testa acompanham a cor.

Possui tarso e bico na coloração amarela pura ou amarelo-marfim, sendo que sua cauda pode ter entre seis e sete faixas de cor marrom claro.

Em seu padrão ferrugíneo, a predominância o marrom-ferrugem é clara, onde também possui uma cauda com seis ou sete faixas da mesma cor, sem muita diferença do restante do corpo.

Contudo, sua ocorrência na coloração cinza é a mais rara, sendo a plumagem mesclada de cinza e marrom.

Quando jovem, a coruja-caburé apresenta a sua plumagem na mesma formação que a da ave adulta.

Apenas um pouco mais descorada, sem as faixas da testa e com sua cauda pouco desenvolvida.

Tipo de vocalização

Seu canto difere das outras espécies de caburés no quesito duração, sendo muito mais lenta.

Assim, os assobios são modulados de forma curta ente dez e 60 repetições, tendo menor volume no início e aumentando conforme sua performance.

No geral, a duração entre as notas acontece por volta de duas vezes sua repetição, tendo o término do canto de forma abrupta.

As canções podem conter cerca de vinte a trinta notas ou mais e o macho, em período de acasalamento, permanece mais ativo durante o dueto com a fêmea.

 

Espécies similares da coruja

As demais espécies de coruja-caburé apresentam geralmente muita similaridade.

Contudo, as diferenças entre a caburé-miudinho e a caburé-da-amazônia são presenciadas pela faixa branca no alto de sua cabeça.

caburé-da-amazônia
caburé-da-amazônia
caburé-miudinho
caburé-miudinho

Vale lembrar que a miudinho apresenta formato de pintas brancas na região além de sua cauda ser toda formada por barras.

Enquanto as outras espécies apresentam manchas e círculos na região e diferentes vocalizações.

Alimentação e caça

Como outras aves de rapina de sua espécie a coruja-caburé alimenta-se de roedores, insetos, répteis e pequenas cobras.

Contudo, podem abater presas com até quatro vezes seu tamanho, fazendo dessa uma das espécies mais agressivas.

Também sendo muito generalista tira proveito da região, estação do ano e habitat para escolher suas presas.

As mais disponíveis as mais buscadas e sua caçada inicia-se a partir de poleiros.

Onde realiza o seu voo de forma veloz e captura suas presas de forma única apanhando-as com suas garras.

Reprodução

A fêmea da caburé põe de 3 a 5 ovos por ninhada, tendo seus ninhos em buracos de árvores e cupinzeiros, onde geralmente são feitos de 4 a 6 metros do chão.

Este pássaro pode, inclusive, ocupar ninhos de outras espécies de aves como pica-paus.

As aves adultas têm como hábito defender os locais onde os ninhos se encontram com muita agressividade.

Nesse sentido, o período de incubação dos ovos gira em torno de 28 a 30 dias.

Logo, os filhotes nascem pesando por volta de 04 gramas e tem sua alimentação realizada iniciante ela fêmea.

É importante lembrar que logo após o macho estar auxiliando na alimentação.

Os filhotes após 24-28 dias já saem do ninho, avaliando com os pais as redondezas por mais algumas semanas.

Como é um animal muito territorialistas, as aves podem aproveitar o ninho por diversos anos.

Uma curiosidade sobre a espécie, em 2008 foi comprovada o cainismo entre filhotes, onde duas aves filhotes comeram um de seus irmãos.

Hábitos e distribuição geográfica

A coruja-caburé apresenta hábitos diurnos e noturnos, um pouco diferente de outras espécies de corujas que geralmente são mais noturnas.

Fica mais tempo empoleirada, sendo para cantar, observar presas ou descansar.

Seu voo costuma ter batidas de assa rápidas e ondulantes, o que ocasiona um certo ruído indo contra as várias espécies de corujas.

Seu falso olho pode enganar aves e homens, sendo o falso mais visto o que o verdadeiro.

De maneira geral, constantemente são vistas em terras brasileiras em regiões como o nordeste do país.

Também ocupando áreas com o sul e nordeste da Argentina e norte do Uruguai.

Além disso, ocorrem em território americano com o sul do Arizona e sul do Texas.

E mais, estes pássaros são vistas em países como México, Panamá, Colômbia, Venezuela, Trinidad e Guianas, assim como no Paraguai e Uruguai.

Assim, costumam viver em florestas, várzeas, clareiras, savanas e campos com vegetações esparsas.

Consegue chegar às alturas de 1.500 metros do nível do mar, não mais que isso.

Eles podem ser encontrados também em áreas urbanas com mais árvores e zonas rurais.

Nesse sentido, existe cerca de 10 subespécies conhecidas da coruja-caburé distribuídas nos continentes americanos, América Central e América do Sul.

Aqui no Brasil é frequentemente encontrado em todas as regiões e estado, mas principalmente no Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste.

Como visto você acompanhou um guia com todas as informações sobre o caburé.

Esta é a hora de mostrar aos seus amigos o que aprendeu sobre este querido animal.

Compartilhe este artigo em suas redes sociais e não se esqueça de deixar seu comentário no post!

Outros pássaros para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *