Arara-Azul

Alimentação e Habitat Ideal

Você sabe o que é uma arara-azul? Talvez, você ainda não tenha visto uma pessoalmente, uma vez que a cada é mais difícil poder encontrar a ave na natureza, mas, com certeza, você já a viu na TV.

Ela também ficou muito conhecida mundialmente depois que o filme em animação ‘Rio’ foi lançado, mostrando justamente a vida de uma arara-azul e a questão do contrabando internacional de animais silvestres.

Porém, você sabe tudo sobre a arara-azul, um dos símbolos da nossa fauna brasileira? Se não sabe ou tem dúvida sobre algo, continue lendo até o fim. Confira!

Características da Arara-Azul

É importante frisar que existem alguns tipos de aves que levam os nomes semelhantes ao da arara-azul.

Porém, aqui vamos falar de apenas um desses tipos, sobre a também conhecida como arara-azul-grande.

Esta ave é conhecida popularmente em diferentes estados do país pelos nomes de:

  • Arara-Azul;
  • Arara-azul-grande;
  • Araraúna;
  • Arara Hiacinta.

As outras três principais ‘variações’ desya ave também são conhecidas como:

As principais características da arara-azul, também conhecida como arara-azul-grande, são:

  • Penas predominantemente azul-cobalto que sofre um efeito degrade pelo corpo dela;
  • As pontas das penas são predominantemente pretas;
  • As penas ao redor dos olhos são amarelas, bem como sua pele que é possível de ver na base do seu bico;
  • Sua língua é predominantemente preta, também com faixas amarelas;
  • Medem até 1 metro de comprimento, aferidos da ponta do bico até o fim da cauda;
  • Quando adulta pesa em media 1,3 quilo, embora, ainda quando filhotes possam chegar a até 1,7 quilo em um estagio chamado de ‘bico de peso’;
  • Seu bico é bastante curvo, sendo que em uma ave adulta ela fecha um semicírculo bem ‘forte’;
  • Ainda sobre o bico: ele é completamente maciço, preto e como dito, grande;
  • Elas vivem naturalmente em grupos não gostando da vida solitária;
  • Mesmo quando não estão em fase de reprodução ou ativos sexualmente, vivem em grupo e usam seus ninhos ‘comunitários’ também como uma troca de informações e aprendizagens entre elas;
  • São consideradas umas das aves mais inteligentes.
Arara-Azul
Foto: Reprodução

Qual o nome científico da Arara-Azul?

O nome científico da arara-azul-grande (sempre importante frisar que estamos falando dela) é Anodorhynchus hyacinthinus.

Foi catalogada em 1970 e seu nome científico é originado assim como o de qualquer outra ave, sendo o Anodorhynchus devido ao fato de seu bico não possuir dentes ou serrilhados e o hyacinthinus, devido a sua coloração azul.

Ela também pertence à familia das Psittacidae onde entram outras aves, como:

  • Outras espécies de araras;
  • Papagaios;
  • Periquitos;
  • Maitacas;
  • Maracanãs.
A-Arara-Azul-está-em-Extinção-no-Brasil
Foto: Reprodução

Tipos de Arara-Azul

Como dito, a arara-azul se divide basicamente em quatro tipos, sendo elas.

  • Arara azul grande;
  • Arara azul de lear;
  • Arara azul pequena;
  • Ararinha azul.

A arara-azul-grande é a que estamos falando durante todo esse artigo.

Já a arara-azul-de-lear é menor que a ‘grande’ e também possui coloração diferente.

Seu pescoço e cabeça são azul-esverdeado e sua barriga é de um azul desbotado, sendo que só suas asas e cauda são do típico azul-cobalto.

Sua listra amarela próxima ao bico e também é diferente. Na ‘grande’, o bico tem o formato de uma faixa, enquanto que na de ‘lear’ se assemelha mais a uma gota.

Por sua vez, o seu nome científico é Anodorhynchus leari, quando na fase adulta pesam próximas as 900 gramas e alcança até 75 centímetros de comprimento.

A arara-azul-pequena, em contrapartida, já está considerada extinta e possuía uma coloração muito semelhante à de ‘lear’, bem como a faixa amarela em formato de gota antes do bico, porém, seu tamanho e peso eram menores.

Não foi mais encontrada esta espécie de ave em liberdade e muito menos em cativeiro.

Além disso, ela possuía cerca de 70 centímetros e pesava algo em torno de 750 gramas. Por fim, o seu nome científico era Anodorhynchus glaucus.

A ararinha azul como o nome já sugere é a menor das quatro espécies e também é considerada extinta desde 2000, sobrando poucas dessas aves em cativeiro e sua grande maioria fora do Brasil.

Ela é totalmente azul, sem as colorações típicas amarelas no entorno dos olhos ou bico, sendo que em sua cabeça e pescoço é um azul mais claro, descendo em um degrade de azul, cada vez mais, escuro.

O pássaro desta variação mede cerca de 60 centímetros e consegue pesar até 400 gramas. Em contrapartida, o seu nome científico é Cyanopsitta spixii.  

Reprodução da Arara-Azul
Foto: Reprodução

Como criar uma Arara-Azul?

Por se tratar de um animal silvestre é essencial ter autorização de órgãos ambientes internacionais, inclusive, é preciso procurar o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Além disso, também é essencial ter autorização de Secretarias do Meio Ambiente do Governo Federal, bem como de seu estado e também município em que reside.

Dessa maneira, ao desejar criar uma arara-azul é essencial ter autorização para criar e, quem sabe, até comercializar esta ave.

Ao criar esta espécie em cativeiro é preciso promover um espaço saudável, limpo e higienizado diariamente.

Quem desejar criar este animal é importante ter a consciência que por se tratar de um animal silvestre, a arara azul (fêmea e/ou macho) precisa de cuidados diários específicos, requerendo certo tempo de dedicação.

Além disso, é essencial realizar gastos financeiros para manter sua saúde e bem-estar deste pássaro, principalmente por estar entre o convívio de seres humanos que retiram do seu habitat natural.

Vale lembrar que é muito difícil se obter a autorização para criar um pássaro que é tão raro, possuindo hábitos característicos e especiais.

Por isso, quem desejar cuidar do animal necessita encontrar criadores autorizados pelos órgãos ambientais para, dessa forma, adquirir uma espécie.

No geral, estes criadores não podem fazer a comercialização destes animais nascidos em cativeiros, porém, eles conseguem doar os filhotes desde que os órgãos ambientais sejam previamente comunicados.

Para facilitar neste processo é essencial se direcionar até o IBAMA ou algum órgão ambiental mais próximo da sua cidade.

Estes órgãos mantém uma lista atualizada constantemente com todos os criadores autorizados dentro do território brasileiro.

As vantagens de se procurar por um criador de animal silvestre autorizado são:

  • Não vai incentivar o tráfico nacional e internacional de animais;
  • Conseguirá ter a garantia de que o animal possui boa saúde;
  • Terá um animal mais acostumado com o convívio humano.

É importante situar que os criadores autorizados pelos órgãos ambientais adquiriram seus animais por conta do estado de saúde debilitado após fiscalizações de combate a tráfico ilegal de animais selvagens.

Arara-Azul

Reprodução

As araras azuis grande formam um casal para reprodução e são monogâmicos, ou seja, aquele casal é único para o resto da vida.

Eles começam a formação do ninho em junho e quando chega setembro, no máximo, outubro, põe de 1 a 3 ovos, ocorrendo em dias variados.

Os filhotes nascem entre 28 a 30 dias após começarem a serem chocados, podendo eclodir em datas diferentes. Eles ficam até três meses no ninho, sendo alimentados pelos pais, quando começam a voar.

Durante o período de choca, sendo feito exclusivamente pela fêmea, o macho é que responsável por alimentar a sua família. Já os filhotes são alimentados pelo pai e pela mãe.

Após os três meses, eles ainda serão alimentados até os oito meses pelos pais. Após isso podem passar para o grupo dos jovens, mas ficando com a sua família até os 18 meses, somente entre 7 a 9 anos é que estarão aptos a reproduzirem.

Alimentação e Habitat Ideal

A alimentação dessas aves é feita basicamente formada com semente de palmeiras.

Já o seu habitat é típico da região do pantanal dos países do hemisfério sul e também podem ser encontrados em estados do nordeste brasileiro, bem como em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Mesmo em regiões sem palmeiras, eles buscam se alimentar de sementes semelhantes.

Arara-Azul se alimentando

Araras Azuis estão em Extinção?

Assim como as outras espécies de araras-azuis, a arara-azul-grande também chegou a ser considerada extinta, mas com projetos de conservação, a ave voltou a se procriar ao ar livre.

O grande motivo de sua ‘quase’ extinção foi devido a capturas ilegais e o desmatamento, bem como das outras espécies de araras.

Arara-Azul

Baixar/Ouvir Canto da Arara Azul

O canto da arara é muito típico e característico da espécie, sendo muito difícil de ser confundido com outra ave.

Se você quiser Baixar/Ouvir Canto da Arara-Azul clique aqui.

Curiosidades

Aqui reunimos para você algumas das curiosidades sobre a Arara-Azul descritas nesse texto:

  • Ela gera normalmente dois filhotes, mas de forma geral, apenas o que nasce primeiro sobrevive;
  • São casais monogâmicos e quando se unem não se separam;
  • Os filhotes ficam próximos aos pais mesmo depois de serem independentes;
  • A arara-azul é a maior espécie entre as araras;
  • Elas se alimentam das sementes de palmeiras;
  • Seu bico é maciço e forte;
  • Não se reproduzem antes dos sete anos de idade;
  • Vivem em grupos de até 30 indivíduos;
  • Foram extintas ou quase extintas devido ao desmatamento e as capturas ilegais.

Arara-Azul

Considerações finais

A arara grande faz parte da lista de animais que correm o risco de extinção na classificação vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN).

Isto decorre devido a grande ameaça que ainda corre a espécie por conta da destruição de seu habitat natural.

Além disso, também há o tráfico e comércio ilegal de animais que nunca diminuiu desde 1988.

Esta espécie conseguiu melhorar seu ranking na lista de extinção por conta de reservas ecológicas e programas ​de conservação ​da arara-azul que tem conseguido expandir suas ações e consequentemente territórios destinados apenas para a ave mais famosa do Brasil.

Gostou das informações? Não se esqueça de compartilhar em suas redes sociais.

Outros pássaros para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *