Coruja-da-igreja

A coruja-da-igreja também conhecida como Suindara e cientificamente chamada de Tyto Alba.

Esta espécie foi considerada a ave do ano de 2018, porque em votação da SEO/BirdLife ela foi escolhida por ter sua conservação ameaçada.

Acrescenta-se ainda que a coruja-das-torres, como também é conhecida, está associada a lendas urbanas por causa do seu canto característico.

Logo, permaneça atento ao artigo para descobrir essa e outras curiosidades dessa ave única que está altamente ameaçada de extinção, correndo risco de deixar de existir. Confira!

Coruja-da-igreja

Como é a coruja-da-igreja?

De todas as espécies de coruja, a coruja-da-igreja é a mais abundante no mundo e possui características significativas.

Com isso, é importante destacar algumas especificidades como o porte médio de 32 e 40 centímetros de altura.

Ademais, apesar de possuírem diferenças de gramaturas entre os machos e as fêmeas, ela pesa cerca de meio quilo.

Além disso, ainda possui dois discos brancos na face semelhantes a um coração com bordas marrons que dão destaque a elas.

Essa importante estrutura discoide tem a funcionalidade de transmitir o som para a entrada dos ouvidos externos das aves.

Assim, tal conformação é muito importante para uma das principais habilidades desse animal que é a audição.

Coruja-da-igreja

Alimentação da coruja-da-igreja

A coruja-da-igreja sai para se alimentar, principalmente, assim que cai a noite, em suas primeiras horas quando sua visão fica mais aguçada.

Desse modo, saem em busca de ratos que são seus vertebrados favoritos para se alimentar.

No entanto, além desses roedores, elas costumam ter em seus hábitos alimentares outros animais mamíferos e até anfíbios como:

  • Morcegos;
  • Sapos;
  • Pequenos marsupiais;
  • Alguns répteis;
  • Outras aves menores;
  • Insetos.
Foto: Reprodução.

Como caçam

As caças dessas corujas são bem especializadas e conseguem se adaptar ao meio em que estão admitindo diferentes técnicas.

Alguns fatores influenciam nesse comportamento como:

  • Quanto de ruído tem no ambiente;
  • Nível de luz disponível;
  • Velocidade do vento.

Como ocorre a digestão

Dentro do estômago da coruja-das-torres quando comem animais com pelos, eles são separados formando bolotas que são regurgitadas posteriormente.

Sendo assim, analisando essas pelotas é possível saber o que elas comeram.

Então, a partir dessa técnica, conseguiram descrever a dieta da coruja-da-igreja com melhor especificidade.

Logo, perceberam que durante o inverno quando mamíferos são mais escassos elas consomem mais insetos.

Hábitos de reprodução da coruja

As corujas-da-igreja fazem a postura de 3 a 4 ovos por período reprodutivo que incubam por 32 dias em média.

Assim, após 50 dias contados, os filhotes já têm todas as penas e cores de um adulto. Também estão aptos a voar e sair do ninho.

Essas corujas não constroem seus próprios ninhos, pelo contrário, elas aproveitam cavidades qualquer que encontram.

 

Posto isso, seu nome não está relacionado a algum amor pelas construções, mas por serem altas e seguras.

Coruja-da-igreja

A coruja-da-igreja é monogâmica?

Elas não costumam trocar de parceiros durante sua vida, pois são fiéis não só ao par, mas ao território.

Diante do exposto, as corujas-da-igreja se apegam muito ao local onde se estabelecem a depender das condições climáticas e ambientais.

 

Como diferenciar macho e fêmea?

Antes de tudo é necessário expor que a coruja-da-igreja é uma das poucas espécies de aves que possui dimorfismo sexual.

Isso quer dizer que existes peculiaridades em ambos os sexos que os distinguem um do outro.

A partir dessa perspectiva, é possível destacar que as fêmeas apresentam algumas pintas amarronzadas ao longo do seu peito.

Enquanto isso, os machos em geral apresentam o peito recoberto por uma branca cor de neve.

Coruja-da-igreja

Coruja-da-igreja no Brasil

As espécies de coruja-das-torres que vivem no Brasil apresentam algumas características diferentes das demais.

Nesse sentido, as fêmeas brasileiras têm o peito mais escuro em tom de dourado e os machos têm o peito mais branco.

Distribuição geográfica

A espécie da coruja-da-igreja está distribuída em todo o território do continente sul americano, exceto nos locais mais frios.

Diante do exposto, ocorre em grande quantidade no Brasil, salvo nas áreas de adensamento de floresta da Amazônia.

São conhecidas 05 subespécies que estão espalhadas pelo continente:

  • Tyto f. furcata: ocorre nas ilhas de Cuba, Cayman e Jamaica no Caribe;
  • Tyto f. contempta: ocorre nos Andes do oeste da Venezuela e Colômbia;
  • Tyto f. hellmayri: ocorre no leste da Venezuela, nas Guianas, norte do Brasil, e também no Caribe;
  • Tyto f. pratincola: ocorre no sul do Canadá, nos EUA e também nas ilhas das Bermudas, Bahamas e no Haiti;
  • Tyto f. tuidara: ocorre no Brasil, desde a margem sul do Rio Amazonas até a Terra do Fogo e ilhas Malvinas.

Como se comportam

A coruja-da-igreja como todas as outras de sua espécie possuem hábitos noturnos, já que saem no ninho e caçam a noite.

Dessa maneira, elas dormem e se escondem durante o dia nos seus ninhos em locais muito altos.

Essa preferência pela noite vem de uma excelente visão noturna, capaz de localizar as presas em áreas de completa escuridão.

Ademais, a audição dessas aves é também bastante apurada, ótimo para encontrar as presas.

Outra coisa que ajuda na eficiência da caça desses animais a noite é a organização e textura das penas serrilhadas.

Com isso, a ave consegue um voo silencioso para poder pegar suas presas com o elemento surpresa.

Coruja-da-igreja

Canto da coruja

É importante saber que essas aves apresentam diversos modos de canto, já que catalogados são mais de 17 tipos.

Inclusive, a vocalização delas é tida como sombria para algumas pessoas o que até gera lendas urbanas.

Além disso, no que diz respeito ao chamado que emitem durante o voo, ele é vigoroso semelhante a um rasgar de pano.

E durante o dia no local em que dormem elas emitem um sibilar rítmico para afugentar possíveis predadores.

 

Curiosidades

Diferentemente das outras espécies de aves, a coruja-da-igreja apresenta seus olhos na parte frontal da face e não dos lados.

Através dessa estruturação dos olhos, elas conseguem ter uma boa noção de profundidade e melhor visão.

Salienta-se ainda sobre as peculiaridades dessa espécie é que elas vivem pouco tempo, uma estimativa de 04 anos.

Porém, existem corujas-das-torres registradas com um período de tempo de 15 a 25 anos de idade.

A pouca vitalidade dessas corujas se deve ao fato de que a taxa de mortalidade dessas espécies nos primeiros anos de vida é alta.

Vale situar que o ser humano tem sua parte de culpa nisso com a caça predatória desses animais.

Como visto você acompanhou um guia com todas as informações sobre o coruja-da-igreja.

Esta é a hora de mostrar aos seus amigos o que aprendeu sobre este querido animal. Compartilhe este artigo em suas redes sociais e não se esqueça de deixar seu comentário no post!

Outros pássaros para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *