Periquito-de-bourke

Periquito Bourke

O periquito-de-bourke é um pássaro calmo e amigável. Sua cor rosa chama a atenção, além disso, seu canto é muito elogiado.

Ele é bem fácil de cuidar e é uma boa opção de ave de estimação, saiba como criar e quanto custa esse passarinho.

Qual é a origem do Periquito Bourke?

O periquito-de-bourke é originário da Austrália. Aliás, é onde vive em natureza e seu nome é uma homenagem ao general que o descobriu, Richard Bourke.

A característica mais marcante do Bourke é sua cor rosa, principalmente, na barriga. Já na parte superior ele é azulado.

O periquito reconhece e se apega bem ao criador, é amigável, portanto, um bom animal de estimação, sua beleza e cores chamam a atenção, principalmente das crianças.

Ele é uma ave que tem o temperamento dócil e convive bem com outros periquitos, porém, os criadores recomendam deixá-lo longe de pássaros maiores e agressivos.

Periquito Bourke em cima de um galho
O periquito-de-bourke é da Austrália, mas se popularizou no mundo pelo seu canto e sua cor. Imagem de David Wong em Flickr

Características do periquito de bourke

O periquito-de-bourke mede entre 19 e 23 centímetros, já a fêmea costuma ser um pouco menor que o macho.

Outra diferença é que nelas o bico é mais fino, além da cor da plumagem que tem tons mais escuros, embora, não seja algo que destoe da raça.

Houve várias mutações na espécie, então, alguns pássaros podem ter o tom puxado mais para o canela ou amarelo suave. Alguns chegam ao azul e ao lutino, ou seja, mais claro.

YouTube video

Como criar um periquito-de-bourke?

Para criar o periquito-de-bourke, a gaiola de calopsita é a melhor, pois ele se sentirá mais à vontade, aliás, ofereça sementes e mantenha a gaiola limpa.

O Bourke gosta de brinquedos, invista nos de madeira para que ele possa desgastar o bico. Não coloque muitos poleiros, assim, ele se exercita para ir de um local para outro.

Coloque galhos de árvores para se divertirem e solte por uns minutos, cuidado com janela e ventiladores ao redor do ambiente.

São menos barulhentos que outros periquitos, porém, seu canto é melodioso e bem bonito. Então, é uma boa opção para quem quer criá-lo em apartamento.

Quando em natureza, ele é um pássaro de bando, por isso, evite criar só uma ave. Opte por um casal ou dois machos, duas fêmeas costumam não se dar bem na mesma gaiola.

Mantenha sempre a limpeza em dia, são pássaros bem asseados e não gostam de gaiola suja. Inclusive, não reutilize a comida que cair no fundo da mesma.

o Periquito Bourke
O Periquito Bourke pode ter detalhes na plumagem, como contorno amarelo. Imagem de Jürgen em Pixabay

Qual alimentação ideal para esse periquito?

Na alimentação, opte pela extrusada que é a melhor para o periquito-de-bourke. A indicada pelos veterinários é a ração de periquito-australiano.

Ofereça, se preferir, a mesma ração e tipo de sementes para calopsita. Ela é a mais indicada em custo-benefício e tem um bom valor nutricional.

Cuidado ao dar só sementes, eles vão escolher uma e se alimentar, preferencialmente, dela. Portanto, corre o risco de déficit de vitaminas e minerais.

Cuidado com alimentos prejudiciais

Evite o excesso de semente de girassol, a princípio, ela contém muita gordura. Eles são bem gulosos, então, tome cuidado para evitar o sobrepeso, aliás, não ofereça:

  • sementes de maçãs, peras, ameixas, pêssegos, cerejas;
  • sal: causa desidratação, sede excessiva, disfunção renal e até óbito;
  • alimentos industrializados para humanos: contém fermento, sal, gordura ou açúcar;
  • alface: causa diarreia.

Qualquer alimento que deixe excrementos amarelos, marrons ou pretos precisam ser retirados, antes de mais nada, em seguida, consulte um veterinário.

Periquito Bourke
O Periquito Bourke adora sementes, por isso, cuidado com o sobrepeso. Imagem de Michael J Barritt em Flickr

Quando ocorre a reprodução do periquito-de-bourke e quanto ele custa?

O Periquito Bourke se reproduz na segunda fase do ano, geralmente na primavera e o valor de cada pássaro é a partir de R$ 250.

A fêmea põe entre três e seis ovos, depois os chocam por cerca de 20 dias. Aliás, cuidado com a superpopulação em gaiolas.

A partir do primeiro mês, a princípio, os filhotes passam a ficar sob os cuidados do pai e a fêmea já está pronta para outra ninhada.

Para que fiquem mais dóceis, o tratador o retira com cerca de vinte dias da gaiola dos pais e os trata com papinha própria vendida em lojas do ramo.

Avalie este pássaro: post

Outros pássaros para você:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *