Papagaio-de-cara-roxa

Papagaio-de-cara-roxa

O papagaio-de-cara-roxa é uma das espécies ameaçadas de extinção no Brasil.

Portanto, conheça as suas principais características físicas, hábitos mais interessantes e como está a sua situação no país.

Quais são as características do papagaio-de-cara-roxa?

A principal característica do papagaio-de-cara-roxa é a testa com louros vermelhos, lados da cabeça azul, vértice e pescoço arroxeados.

Esses aspectos físicos são os motivos do seu nome popular.

Seus olhos são alaranjados e seu bico afiado tem cor de chifre, um pouco mais voltado para o cinza pálido.

O verde predomina no corpo, possui uma cauda multicolorida, com destaque para penas que formam uma faixa vermelha e a extremidade é amarelo-esverdeada.

É uma das aves da espécie com mais cores.

Em relação a altura, podem chegar a 36 cm de comprimento e pesam cerca de 400g a 450g.

Não há muita diferença em relação a outros papagaios amazonas.

A espécie não possui dimorfismo sexual, isto é, não apresenta evidências físicas entre machos e fêmeas.

Comportamento

O papagaio-de-cara-roxa tem hábitos diurnos, logo, é durante o dia que ele busca alimento e voa longas distâncias.

Ao entardecer, em média 17h, ele busca galhos para descansar.

De modo geral, ele não vive em grandes grupos, mas pode conviver em grupos menores, especialmente no inverno.

O mais comum é que vivam em pares.

Na natureza, ele costuma sair para se alimentar entre 9h e 10h da manhã.

Aliás, durante o voo ele costuma fazer bastante barulho, bem como na hora de empoleirar.

Onde vive?

O papagaio-de-cara-roxa vive em uma faixa litorânea entre o sul do estado de São Paulo e o norte do Paraná.

Há alguns anos, ele estava presente no norte de Santa Catarina.

Essa espécie de papagaio é considerada endêmica da Floresta Atlântica, isto é, ele está presente apenas no Brasil com esse tipo de flora.

Assim, alguns lugares que se pode vê-lo:

  • Guaraqueçaba;
  • Antonina;
  • Morretes;
  • Guaratuba;
  • Iguape;
  • Cananéia;
  • Baía de Paranaguá.

Hoje, a maior população da espécie se concentra no estado do Paraná, graças à iniciativa de projetos de conservação do papagaio.

Alimentação do Papagaio-de-cara-roxa

O papagaio se alimenta principalmente de frutas, folhas, flores e insetos ou larvas que encontra nelas.

Então, entre os itens que compõem sua dieta estão:

  • tucum;
  • jerivá;
  • guanandi;
  • araçá;
  • mangue-do-mato;
  • canelinha.

Em geral, esses pássaros silvestres buscam sua alimentação em florestas densas, especialmente abaixo de 200 m, mas há registros de sua presença em até 700 m.

Montagem com duas fotos do papagaio-de-cara-roxa na natureza
O papagaio-de-cara-roxa costuma se reproduzir na mesma árvore por toda a vida. Imagens do site Flickr (link 1 e link 2)

Quando o papagaio-de-cara-roxa se reproduz?

O período de reprodução do papagaio-de-cara-roxa ocorre entre os meses de setembro e março, então, pouco antes disso, o casal busca um local para formar o ninho.

O local favorito desse papagaio são troncos ocos de árvores em decomposição.

Aliás, pode-se encontrá-los em florestas inundadas ou arenosas.

Depois de formar o ninho, o macho inicia a corte e aproximadamente no mês de outubro, a cópula ocorre.

Então, a fêmea pode pôr de dois a quatro ovos por vez.

A incubação é responsabilidade da fêmea e ela passa 26 dias com os ovos.

Mas, enquanto isso, o macho faz a busca de alimentos para ela e após a eclosão, para os filhotes também.

Depois de dois meses, os filhotes estão prontos para sair do ninho e deixar seus pais.

Ainda que saiam, eles se mantêm em regiões próximas.

Apenas com três anos de idade é que esses filhotes vão atingir a maturidade sexual e procurar um parceiro, com o qual provavelmente fiquem até o fim da vida.

Uma característica interessante é que, assim como o papagaio-do-mangue, essa espécie também é monogâmica.

Outro fato é que eles sempre escolhem a mesma árvore para procriação em toda a sua vida.

Por isso, fazer isso em cativeiro é bem mais difícil, embora existam criadores.

Quais são as ameaças do papagaio-de-cara-roxa?

As principais ameaças ao papagaio-de-cara-roxa são o comércio ilegal de filhotes ou aves adultas, bem como, a destruição do seu habitat natural.

Já a derrubada de árvores na região da Mata Atlântica em que a espécie vive, causa a falta de alimentos e abrigo.

Outro fator agravante é que esse papagaio tem o hábito de usar apenas uma árvore para procriar a vida inteira.

Então, quando ela é destruída, ele pode não ter mais filhotes.

Por conta dessa rotina, também há grande dificuldade de aumentar a reprodução da espécie em cativeiro.

Tudo isso aliado ao comércio ilegal motiva a ameaça da existência da ave, a qual ainda existe apenas no Brasil e sua presença se concentra mais no Paraná.

Muitas aves, inclusive, podem morrer no trânsito desse tipo de comércio por estresse e medo, bem como pelas condições da viagem.

YouTube video

Por que o papagaio-de-cara-roxa está em perigo de extinção?

O desmatamento e a venda ilegal são os principais motivos.

Mas, hoje o papagaio-de-cara-roxa não está na lista de animais ameaçados de extinção.

Isso se deve ao Plano de Ação Nacional para a Conservação de Papagaios da Mata Atlântica, o qual é mais conhecido como PAN Papagaios.

O plano tem como objetivo conservar a existência da espécies de vários animais que estão ameaçados, bem como ir contra o tráfico, inclusive do papagaio-verdadeiro.

Para isso, os envolvidos no plano trabalharam com a conscientização da comunidade local e com a inclusão de ninhos artificiais pela floresta.

A ação se desenvolveu no estado do Paraná, contou com o monitoramento dos ninhos e da saúde dos papagaios.

Assim, existem em média 7 mil aves da espécie na região.

Mesmo que hoje a ave não esteja mais na lista dos animais em extinção no Brasil, ela permanece sujeita a esse risco.

Outro fato importante de destacar é que o plano começou em 1998 e em 2012 eles conseguiram iniciar suas ações no estado de São Paulo também.

Papagaio segurando folha de grama com patinha enquanto a come
O papagaio-de-cara-roxa tem hábitos diurnos – Foto do site Mascotarios (link)

Como proteger o papagaio-de-cara-roxa?

O PAN Papagaios é um dos principais projetos para a conservação da espécie.

Então, um de seus objetivos é evitar a extinção por meio do monitoramento da reprodução.

As ameaças externas, por outro lado, continuam presentes como o desmatamento e o comércio ilegal das aves.

Diante disso, as ações para proteção da espécie incluem a conscientização da comunidade, a fim de reduzir as caças coletivas e a derrubada de árvores com ninhos.

Qual o nome popular do papagaio-de-cara-roxa?

Chauá é um nome popular para o papagaio-de-cara-roxa, mas essa nomenclatura pode causar certa confusão.

Há um outro papagaio com o mesmo nome, mas o qual pertence a espécie amazona rhodocorytha.

Aliás, ele também está ameaçado de extinção.

O nome científico para a ave nativa da Mata Atlântica é amazona brasiliensis.

Então, eles apresentam diferenças em relação a sua plumagem da cabeça principalmente.

Em inglês, o seu nome é Red-tailed Parrot, o qual se refere a cor vermelha da cauda do papagaio.

Papagaio-de-cara-roxa em foco sobre piso branco artificial
O papagaio-de-cara-roxa pode viver até 60 anos – Foto de Joel Sartori (link)

Chauá, um dos papagaios nativos mais interessantes

A ave chama a atenção por sua plumagem particular, a qual mistura azul, vermelho, verde e o roxo que motiva o seu nome.

Além disso, seu comportamento desperta interesse.

Uma das principais curiosidades sobre a reprodução é que, para esta espécie, ela sempre deve ocorrer em seu local de origem.

Outra característica que costuma ser atribuída é a sua fidelidade, já que eles vivem em pares e ficam com o mesmo parceiro até o fim da vida.

Embora seu nome científico se refira aos nativos da Floresta Amazônica, esse não é o seu habitat natural, mas sim a Mata Atlântica.

A espécie está presente apenas no Brasil, aliás, é alvo do comércio ilegal.

Mas, os planos de conservação têm dado bons resultados e espera-se que ele continue no país.

4.5/5 - (2 votes)

Outros pássaros para você:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *