Papagaio-verdadeiro

O papagaio-verdadeiro é lembrado pelas pessoas por serem os pássaros mais inteligentes do planeta.

A ave consegue repetir um grande número de palavras que são pronunciadas pelos seus criadores e a sua expectativa de vida chega há 80 anos.

Onde vive o papagaio-verdadeiro

O papagaio-verdadeiro pode ser encontrado em todo Brasil nas regiões Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul.

Na região Nordeste, o pássaro pode ser encontrado, por exemplo, nas florestas dos estados do Piauí, Bahia e Pernambuco, Tocantins e Maranhão.

No Centro-Oeste é possível ver a ave em Goiás, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul e Mato Grosso do Norte.

Já na região Sudeste, o pássaro vive nos estados do Rio de Janeiro e São Paulo.

A ave está cada vez mais sendo encontrado na Grande São Paulo por conta da captura e comercialização clandestina.

No Sul do país, o papagaio frequenta o Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Além do Brasil, este papagaio também costuma viver na América Latina.

Também é possível encontrar a espécie dessa ave em país como a Bolívia, Argentina e até no Paraguai.

Então o papagaio-verdadeiro costuma viver em um habitat que é formado por florestas úmidas ou secas.

Eles podem ser encontrados, por exemplo, em bosques que possuem palmeiras, margens de rios, lagos ou açudes, savanas ou em áreas cultivadas.

papagaio-verdadeiro

 

Quanto tempo vive um papagaio-verdadeiro

O papagaio-verdadeiro brasileiro é considerado a ave mais inteligente do planeta.

O título vem da capacidade desse pássaro em interagir com os seres humanos.

Eles possuem a capacidade de reproduzir palavras pronunciadas por seus donos.

Também consegue repetir alguns sons, barulhos e até chamar o nome de seus criadores.

Além disso, ele é uma ave que possui a expectativa de vida mais elevada, conseguindo viver por até 80 anos.

Essas habilidades do papagaio são o principal motivo que leva ser a ave mais procurada para servir como animal doméstico.

Logo é possível encontrar a captura e comercialização clandestina do papagaio de forma naturalizada entre a população brasileira.

Centenas de papagaios são comercializadas clandestinamente em mercados, feiras, pontos comerciais e praças de todo país.

Por conta da comercialização clandestina, o papagaio está na lista de risco de extinção em algumas regiões do Brasil.

Alimentação

A alimentação deste papagaio, quando livres na natureza, é composta por leguminosas, castanhas, frutas, insetos e sementes selvagens.

Eles se alimentam nas árvores mais altas que possuem frutos, sementes ou castanhas.

O papagaio é bastante inteligente na medida em que usam bico como terceiro pé para conseguir subir nas folhagens das árvores.

Em alguns momentos chegam utilizar as patas para apanhar a comida até levar a boca.

Possuem prioridade por sementes do que as pastas das frutas nas árvores.

Goiabas, laranja, mamões e mangueiras são as frutas que os papagaios selvagens mais preferem se alimentar durante o dia.

Já o papagaio-verdadeiro criado em cativeiro costumam ser alimentados por ração específica para esse tipo de ave.

Com objetivo de simular a alimentação do papagaio selvagem, os criadores inserem frutos, sementes, tubérculos, grãos, ovos cozidos e vegetais.

Os papagaios filhotes, que nascem no cativeiro, é necessário ter certo nível de cuidado.

Os alimentos precisam ser oferecidos diretamente no bico dos filhotes até terem a habilidade de comer sozinhos.

Geralmente, os criadores fornecem aos filhotes uma alimentação formada por mingaus, papas e sopas.

É importante também ficar de olho na quantidade de alimentos e refeições. As aves em cativeiro possuem facilidade de se tornarem obesas.

Afinal, elas não conseguem gastar energia como os papagaios selvagens que precisam ir atrás da sua alimentação e fugir de seus predadores.

Reprodução

O papagaio-verdadeiro consegue reproduzir apenas a partir do aniversário de cinco anos quando se torna adulta.

A ave possui uma temporada de reprodução que geralmente é entre os meses de setembro a março.

Livres na natureza, o papagaio constrói ninhos em árvores que são altas e ocas.

Eles também costumam estabelecer seus ninhos em barrancos e buracos de rochas desgastadas.

Os ovos gerados pela fêmea são ovais e medem cerca de 40 x 30 milímetros.

Na natureza ou em cativeiro, o papagaio consegue gerar de três a cinco ovos por ninhada.

Por cerca de 30 dias os ovos são chocados pela fêmea ou em incubadoras.

Quando na natureza, os ovos são protegidos pelo macho, uma vez que são aves monogâmicas e fica junto o resto da vida.

O papagaio fêmea e macho cuidam dos filhotes até completar 60 dias após a eclosão dos ovos e nascimento das crias.

Após dois meses os papagaios-verdadeiros filhotes selvagens deixam o ninho e começam ir atrás da sua própria alimentação.

Os criadores de papagaios preferem utilizar a incubação artificial por meio das chocadeiras elétricas.

A técnica aumenta a produtividade das aves que chegam atingir 10 filhotes de papagaios por ano.

Além disso, com a incubação artificial realizada em chocadeiras elétricas é possível tornar estes papagaios mais dóceis do que aves selvagens que nascem livres na natureza.

Qual a diferença entre o louro e o papagaio

O nome científico do papagaio-verdadeiro é Amazona aestiva e pertence à família categorizada como Psittacidae.

O nome Amazona é francês que se refere às espécies de aves tropicais da Floresta Amazônica. Já o termo aestiva está em latim e significa calor ou verão.

Logo no exterior o papagaio-verdadeiro é conhecido como uma Ave da Floresta Amazônica ou Ave do calor da Amazônia.

Já no Brasil, o papagaio-verdadeiro é conhecido e chamado por diversos nomes.

Em algumas regiões do país a espécie do papagaio-verdadeiro é chamada de trombeteiro, curau, ajuretê, juru-etê, papagaio-de-fronte-azul, papagaio-grego, papagaio-baiano, papagaio-curau, papagaio-boiadeio e papagaio-comum.

Mas o papagaio-verdadeiro é conhecido popularmente como apenas louro.

Louro é o nome carinhoso utilizado pelos brasileiros para se referir a uma ave que representa a natureza e o meio ambiente do país.

Afinal, é um animal que está presente na vida da população por conseguir estar presente em todas as florestas brasileiras.

Preço do papagaio-verdadeiro

O criador de papagaio-verdadeiro precisa de autorização do Governo Federal, por meio do Ministério do Meio Ambiente e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), para comprar e realizar o manejo da ave.

Depois de autorizado, o criador precisa criar um viveiro fazendo a aquisição de papagaios fêmea e macho que nasceram em cativeiros com a documentação legalizada.

A documentação deve ser requerida na entidade governamental encarregada de proteger a flora, fauna e meio ambiente do Estado.

Outra maneira de conseguir um casal de papagaio-verdadeiro é por meio dos centros de triagem e nas fiscalizações federais e estaduais contra o contrabando e comercialização clandestina de animais silvestres.

No mercado legalizado devido à burocracia, o bico torto, a habilidade de repetição de palavras e reprodução de sons como buzinas, canções e campainhas, torna o preço de um papagaio-verdadeiro elevado.

Em média um papagaio adquirido no mercado legalizado custa entre R$ 3 a 5 mil reais.

Já no comércio de contrabando clandestino e ilegal podem ser encontrados a preços populares.

No geral, as aves são vendidas em mercados, feiras e pontos comerciais em qualquer cidade do país.

Comportamento

O papagaio-verdadeiro é um ótimo acompanhante na medida em que gostam de interagir com seres humanos.

Eles são conhecidos pela habilidade de reproduzir e repetir palavras e sons.

Além disso, são aves monogâmicas que convivem com um único parceiro até a morte.

Os papagaios conseguem medir entre 35 e 37 centímetros de tamanho e peso chegando a 400 gramas.

Livre em seu habitat natural, o casal de papagaio (fêmea e macho) fazem os voos juntos.

Para fugir dos seus predadores, a defesa usada pelo papagaio é ficar imóvel e sem fazer barulho.

A técnica de defesa é utilizada para se defender de predadores como o ser humano, animais carnívoros e pássaros de rapina.

O pé esquerdo é mais desenvolvido e possui maior habilidade e capacidade movedora.

Dessa maneira, os papagaios geralmente utilizam mais o pé esquerdo em suas atividades cotidianas.

O viveiro de um papagaio deve ser instalado e construído em lugar que tenha momentos de sombra e iluminação solar.

Eles não toleram o frio intenso, a umidade e fortes fluxos de ar como ventanias e vendavais.

Então o viveiro precisa ter uma estrutura para proteger o animal em momentos úmidos e com rajadas de vento.

O viveiro precisa permanecer a 1 metro do solo para impedir a entrada de animais roedores.

É indicado que o solo sejam cimentados e cobertos. Também precisam ter comedouros, ninhos e bebedouros.

E mais, é necessário oferecer brinquedos e formas para o papagaio conseguir ocupar o seu dia.

Os viveiros precisam ter uma diversidade de brinquedos e formas de interagir destinadas aos pássaros. Ou seja, deve ter os chamados playgrounds para aves.

Já os viveiros que acomodam um casal de papagaios (fêmea e macho) são obrigados proporcionar 2 metros de tamanho, 1,5 metro de elevação e 1 metro de largura.

A intenção é promover um ambiente saudável para permitir que os papagaios possam realizar voos.

Os criadouros podem ser de madeira ou ferro e ter tela tipo soldada ou aramada, além de contar com cordas de arame no modelo 12 e malha de 2 a 3 centímetros.

A higiene do ambiente merece atenção redobrada, pois deve ser realizada todos os dias.

Todo o dia se necessita trocar as ferramentas usadas para revestir o solo do viveiro.

O papagaio-verdadeiro pode se contagiar com fungos e bactérias provocadas pelo contato de fezes e restos de comida.

Caso as fezes e restos de comidas não sejam eliminados do local, todos os dias, a ave pode ficar doente e ter a sua saúde debilitada.

Uma vez por semana faça a higiene de bebedouros e comedouros com sabão neutro.

No final da lavagem de bebedouros e comedouros é essencial secar os objetos para depois voltar aos viveiros.

Veja também

alma de gato

Alma de Gato

Conhecido pela sua bela e longa cauda e, principalmente, pelo seu canto peculiar que lembra …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *