Galo de Campina

Galo de Campina

O galo de campina é uma ave típica do nordeste, no entanto, a intervenção do ser humano em seu habitat tem provocado uma adaptação à expansão geográfica, podendo agora também ser encontrada em algumas partes do sudeste.

A natureza nos presenteia com suas curiosas belezas e suas inigualáveis criaturas que vagam por todo o planeta terra.

Você já parou para pensar na imensidão de pássaros que passeiam alegremente pelo céu todos os dias? Bem, são incontáveis espécies, uma delas, bastante curiosa é o Galo de Campina.

Neste artigo, conheça mais um pouco sobre pássaro que já faz parte da cultura brasileira. Confira!

Galo de Campina

Descrição do pássaro

O galo de campina, de nome científico Paroaria dominicana, é conhecido popularmente também de cardeal-do-nordeste ou cabeça-vermelha.

Esta ave pertence, conforme a comunidade científica, a família categorizada como Thraupidae.

Já na língua inglesa, este pássaro é chamado popularmente de Red-cowled Cardinal.

Além disso, ave possui um tamanho médio de 17 cm de comprimento, sendo até confundido com o pássaro chamado cardeal que também é um pássaro da fauna brasileira.

A sua beleza que é muito por conta das cores de suas penas que é bastante apreciada por todas as pessoas que possuem contato com esta espécie.

Neste sentido, o galo da campina é um pássaro que sofre constantemente perseguição dos apreciadores de aves e também do tráfico ou comércio (nacional ou internacional) de animais silvestres.

Galo de Campina

Características físicas do Galo de Campina

A sua beleza é muito admirada pelos amantes da natureza, pois ele possui sua plumagem considerada diferente e também única.

Na cabeça, há uma tonalidade de cor vermelho intenso, já as penas com cor brancas e pretas são distribuídas ao longo de seu corpo, com a parte de cima se caracterizando pela tonalidade cinza.

O macho possui a coloração avermelhada da cabeça, sendo um pouco mais escura se comparado com a da fêmea galo de campina.

Quando ainda jovem a penugem da garganta tem um leve tom de alaranjado, chegando a ficar realmente vermelho quando adulto.

Em seu habitat natural, quando não está no período de reprodução, costumam se reunir em bandos que é composto por animais da mesma espécie.

Galo de Campina

Como criar um Galo de Campina?

Por se tratar de um animal silvestre é essencial ter autorização de órgãos ambientes internacionais, inclusive, é preciso procurar o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Além disso, também é essencial ter autorização de Secretarias do Meio Ambiente do Governo Federal, bem como de seu estado e também município em que reside.

Dessa maneira, ao desejar criar um galo de campina é essencial ter autorização para criar e, quem sabe, até comercializar esta ave.

Ao criar esta espécie em cativeiro é preciso promover um espaço saudável, limpo e higienizado diariamente.

Quem desejar criar este animal é importante ter a consciência que por se tratar de um animal silvestre, o galo de campina (fêmea e/ou macho) precisa de cuidados diários específicos, requerendo certo tempo de dedicação.

Além disso, é essencial realizar gastos financeiros para manter sua saúde e bem-estar deste pássaro, principalmente por estar entre o convívio de seres humanos que retiram do seu habitat natural.

Vale lembrar que é muito difícil se obter a autorização para criar um pássaro que é tão raro, possuindo hábitos característicos e especiais.

Por isso, quem desejar cuidar do animal necessita encontrar criadores autorizados pelos órgãos ambientais para, dessa forma, adquirir uma espécie.

No geral, estes criadores não podem fazer a comercialização destes animais nascidos em cativeiros, porém, eles conseguem doar os filhotes desde que os órgãos ambientais sejam previamente comunicados.

Para facilitar neste processo é essencial se direcionar até o IBAMA ou algum órgão ambiental mais próximo da sua cidade.

Estes órgãos mantém uma lista atualizada constantemente com todos os criadores autorizados dentro do território brasileiro.

As vantagens de se procurar por um criador de animal silvestre autorizado são:

  • Não vai incentivar o tráfico nacional e internacional de animais;
  • Conseguirá ter a garantia de que o animal possui boa saúde;
  • Terá um animal mais acostumado com o convívio humano.

É importante situar que os criadores autorizados pelos órgãos ambientais adquiriram seus animais por conta do estado de saúde debilitado após fiscalizações de combate a tráfico ilegal de animais selvagens.

Galo de Campina

Alimentação

É uma ave considerada e classificada como granívora, ou seja, se alimenta de grãos e/ou sementes.

De forma geral, a alimentação dessa ave peculiar é feita através do alpiste, também é possível criar uma mistura com pedaços de sementes, juntamente com milho moído, aveia descascada, linhaça e girassol.

Também é possível alimentar o galo de campina com alguns tipos de vegetais, tais como a couve e/ou agrião.

Os frutos como, por exemplo, a seriguela e o caju também foram relatados por alguns cientistas como fonte de alimento assim como pequenos insetos em períodos temporários e necessários à sua sobrevivência.

Estes frutos são típicos da Região Nordeste do Brasil que é naturalmente o seu habitat de origem.

Quando o animal está em seu ambiente natural, a ave pode inserir na sua dieta alguns insetos, principalmente se o lugar onde habita estiver faltando frutas e sementes que costuma consumir.

E mais, para poder se alimentar, esta espécie tem a habilidade de anda ou realizar saltos para catar sementes que ficam no solo ou próximos do caule.

Por sua vez, possui também grande facilidade de aprender a fazer suas alimentações diárias em comedouros artificiais deixados pelos seres humanos.

Além disso, também pode se tornar uma ave muito dócil quando é acostumado com a presença de seres humanos.

Galo de Campina

Gaiola para Galo de Campina

A gaiola para o galo de campina possui uma metragem média específica com pelo menos 80 cm de comprimento, 40 cm de largura e 40 cm de altura.

Já o seu ninho tem uma média de 12 cm e é feito com bucha vegetal, crina de cavalo ou raiz de capim.

galo de campina na gaiola

Reprodução

A época da reprodução começa relativamente cedo para o galo de campina. Este período ocorre geralmente a partir dos dez meses de idade quando o seu organismo já está pronto para acasalar com um macho de sua espécie.

É importante lembrar que é interessante esperar um pouco mais de um ano para que isso ocorra.

Quando se inicia, o período de reprodução geralmente a ave vive com sua dupla reprodutiva, em um território que é defendido pelo macho.

Em uma ninhada é possível ter de dois a três ovos e os filhotes esperam uma média de treze dias para saírem do ovo.

Para chamar a atenção durante o período reprodutivo, essa ave gosta de cantar pela manhã, sendo que o seu canto é uma verdadeira tática para atrair outro de sua espécie e assim ocorrer à reprodução.

Já em seus habitat natural como na região da Caatinga, na região Nordeste do país, o galo de campina só consegue fazer sua reprodução apenas uma vez no ano.

O período de reprodução, quando livre na natureza e habitat natural, é a partir da chegada das chuvas.

Cuidados

A fêmea choca os ovos quase que exclusivamente, mas em casos esporádicos o macho participa da incubação durante turnos temporários. Assim que nascem, os filhotes permanecem no ninho por volta do dia 17 e por mais três semanas eles ainda recebem ajuda dos pais para poderem se alimentar, após isso, eles já estão aptos a viver na natureza sozinha.

Para ter um galo de campina é importante antes preparar o lugar onde ele ficará e principalmente não contribuir para a biopirataria, pois comprar animais ilegais é crime!

Ele precisa de uma gaiola especial, com um ninho aconchegante para que ele se sinta adaptado ao seu novo ambiente.

Canto do Galo de Campina

Seu canto é belo, mas só é ouvido naturalmente quando está em seu período fértil, raras são as exceções quando não estão nesse período. Ele não canta quando está engaiolado, mas em períodos esporádicos a ave “promove o ar da graça de seu canto”.

Curiosidades

  • Eles nunca são encontrados em bando, geralmente permanecem sozinhos ou em casal;
  • Sua expectativa é de até 15 anos;
  • Sua beleza atrai muitos traficantes de aves;
  • A sua plumagem é leucística, que é uma particularidade por herança genética conferindo a cor de penas brancas a animais geralmente escuros, isso é causada por um gene recessivo;

A ideia de se ter um animal de estimação como uma ave da espécie do galo de campina com toda a certeza pode estar fixa na sua cabeça.

No entanto, entenda que independente dele ser um “bichinho fofinho”, esta espécie é um ser vivo e merece todo o respeito e cuidado que esteja ao nosso alcance para a preservação da sua espécie.

O galo de campina será um ótimo companheiro para você, porém, a sua venda só deve ser feita corretamente. Caso presencie o comércio ilegal dessa ave, denuncie! A biopirataria deve ser combatida a todo o momento.

Os animais são seres vivos e não devem ser tratados como meras mercadorias e objetos.

Considerações finais

A ave galo de campina recebe diversos nomes, principalmente nas regiões do Nordeste que é habitualmente o seu habitat natural. Os nomes que são popularmente conhecidos são:

  • Cardeal-do-nordeste, galo-de-campina, campina, cabeça-de-fita, cabeça-vermelha e cabeça-de-lenço.

Por se tratar de um animal muito bonito, esta espécie tem ganhado todo o território nacional.

Este cenário tem ocorrido incentivado pelo tráfico e comércio ilegal de animais silvestres que ocorre em todo o território nacional.

Logo, se vê a necessidade de combater este crime que se encontra praticamente naturalizado no país.

Outros pássaros para você:

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *