Curió

Curió

Você conhece o pássaro Curió? Talvez, você não tenha visto ele pessoalmente, mas provavelmente já o viu em imagens, vídeos ou mesmo o seu canto inconfundível em algum áudio.

O seu canto faz com que ele seja uma ave muito visada. Ele já chegou a ser uma das aves mais apreendidas pelo IBAMA devido a sua captura ilegal.

Essas capturas ilegais o fizeram sumir de várias regiões do Brasil. Além disso, o desmatamento e outras causas ambientais é outro agravante.

Você que conhecer mais um pouco sobre o curió? Então é só ler o texto abaixo. Confira!

Curió

A história do Curió

Alguns dizem que esse pássaro veio em navios negreiros que traziam os escravos da Angola.

Quando chegaram aqui eles teriam se adaptado facilmente ao nosso clima, o que tornou o curió uma espécie em grande número no Brasil.

Além disso, o curió também é encontrado em outras regiões da América, tais como:

  • Brasil;
  • México;
  • Equador;
  • Bolívia;
  • Argentina.

Porém, na verdade essa história não passa de um equívoco, visto que ainda no século 18, devido à semelhança que possuía com um pássaro da Angola, ele recebeu o nome científico errado.

Foi só no século 20, mais precisamente em 1944, que o erro foi desfeito e a ave foi classificada como uma ave natural da fauna brasileira, sendo originário da Bahia.

Sua facilidade com climas tropicais, fez com que a ave se espalhasse por quase todas as regiões do Brasil e por alguns outros países das Américas.

Curió

Características do pássaro

O Curió mede cerca de 20 centímetros e o macho possui a parte de cima do corpo, junto com a cabeça, na cor preta. Já o peito possui tonalidade marrom-avermelhada. A parte interna das suas asas é branca.

Em contrapartida, as fêmeas são de pena amarronzada e possuem o peito pardo.

Por sua vez, ambos os pássaros (macho e fêmea) cantam, cada um da sua forma.

Na natureza, eles podem viver por até 10 anos, agora, em cativeiro sua vida pode chegar a 30 anos.

Este animal consegue sobreviver de forma solitária ou em pares e nas raras vezes vive em bandos com aves da mesma espécie, bem como tizius e Sporophila.

Se você deseja ver um curió livre na natureza é preciso ir até um bosque arbustivo, campestres com gramíneas, arbustos de matas elevadas e brejos.

Curió características
Foto: Reprodução

Cuidados necessários

O primeiro cuidado que você precisa ter é em adquirir um Curió legalizado.

No Brasil, são inúmeros os criadores que possuem liberação para criação e manejo da espécie.

Afinal, somente assim você ajuda a combater o contrabando do animal.

Outros cuidados necessários são:

  • Não deixar ele próximo de outros pássaros. Ele aprende a imitar o canto de outros pássaros, o que pode prejudicar o seu canto;
  • Colocar o curió em gaiolas apropriadas e de tamanho adequado;
  • Alimentação correta;
  • Pelo menos 15 minutos de banho de Sol por dia;
  • Ele precisa socializar, então, após adulto e depois de saber cantar, leve o pássaro na gaiola para locais movimentados, como praças;
  • Não é recomendado que se leve o curió a outros lugares que tenham o mesmo pássaro, principalmente se ele ainda não estiver ‘maduro’ de canto. O canto de outro curió pode intimidar o seu e ele deixar de cantar.

Por se tratar de um animal silvestre é essencial ter autorização de órgãos ambientes internacionais, inclusive, é preciso procurar o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Além disso, também é obrigatório ter autorização de Secretarias do Meio Ambiente do Governo Federal, bem como de seu estado e também município em que reside.

Dessa maneira, ao desejar criar o curió é essencial ter autorização para criar e, quem sabe, até comercializar esta ave.

Ao criar esta espécie em cativeiro é preciso promover um espaço saudável, limpo e higienizado diariamente.

Quem desejar criar este animal é importante ter a consciência que por se tratar de um animal silvestre, o curió (fêmea e/ou macho) precisa de cuidados diários específicos, requerendo certo tempo de dedicação.

Além disso, é essencial realizar gastos financeiros para manter sua saúde e bem-estar deste pássaro, principalmente por estar entre o convívio de seres humanos que retiraram do seu habitat natural.

Vale lembrar que é muito difícil se obter a autorização para criar um pássaro que é tão raro, possuindo hábitos característicos e especiais.

Por isso, quem desejar cuidar do animal necessita encontrar criadores autorizados pelos órgãos ambientais para, dessa forma, adquirir uma espécie.

No geral, estes criadores não podem fazer a comercialização destes animais nascidos em cativeiros, porém, eles conseguem doar os filhotes desde que os órgãos ambientais sejam previamente comunicados.

Para facilitar neste processo é essencial se direcionar até o IBAMA ou algum órgão ambiental mais próximo da sua cidade.

Estes órgãos mantém uma lista atualizada constantemente com todos os criadores autorizados dentro do território brasileiro.

As vantagens de se procurar por um criador de animal silvestre autorizado são:

  • Não vai incentivar o tráfico nacional e internacional de animais;
  • Conseguirá ter a garantia de que o animal possui boa saúde;
  • Terá um animal mais acostumado com o convívio humano.

É importante situar que os criadores autorizados pelos órgãos ambientais adquiriram seus animais por conta do estado de saúde debilitado após fiscalizações de combate a tráfico ilegal de animais selvagens.

Como alimentar corretamente

Você tem várias opções para alimentar o seu curió, mas tome muito cuidado na hora de fazer isso.

Primeiro, troque a água do pássaro diariamente, de preferência, duas vezes ao dia. Deixe sempre o bebedor limpo para evitar a proliferação de fungos e bactérias que seriam ingeridas pelo curió.

Quanto à alimentação, você pode optar por:

  • Uma mistura de grãos, 70% de alpiste, 20% de painço branco, 10% de painço verde;
  • Ração que está sendo utilizada cada vez com mais frequência e dá a facilidade de ter tudo que o pássaro precisa na medida certa;
  • Espinafre, couve e milho também são bem-vindos.

Ao dar para o curió legumes e verduras, sempre lave bem os alimentos.

Já quando está livre na natureza, a ave tem uma alimentação que insetos e sementes.

A semente que mais adora ter como fonte de alimento é o capim navalha que consegue ao subir nos pendões de capim ou catando no chão.

Como alimentar Curió
Foto: Reprodução

Qual o preço do Curió?

Muitos são os fatores que determinam o valor desse pássaro na hora da compra em um criador regulamentado.

Fatores como canto, genética, beleza e procriação são levados em conta.

O valor médio de um curió atualmente está na base de R$ 500 a R$ 1.500 reais, podendo ultrapassar esse valor em alguns casos.

É necessário procurar uma casa de animal ou criador confiável que realiza a venda de animais autorizados.

Não se esqueça de solicitar toda a documentação que autoriza a criação do animal, bem como até a nota fiscal que eventualmente pode ser solicitada por alguma fiscalização.

Vale lembrar, mais uma vez, que ao desejar criar este animal em casa é importante ter a consciência que por se tratar de um animal australiano, o diamante de gould (fêmea e/ou macho) precisa de cuidados diários específicos, requerendo certo tempo de dedicação.

Além disso, é essencial realizar gastos financeiros para manter sua saúde e bem-estar deste pássaro, principalmente por estar entre o convívio de seres humanos que retiraram do seu habitat natural.

Reprodução

A fêmea costuma bater no macho após a gala, então, o primeiro passo é ter uma gaiola para reprodução.

Essa gaiola é acoplada na gaiola da fêmea. Assim o macho só vai para a gaiola da fêmea na hora da gala, voltando para a sua após o ato.

A fêmea coloca entre 1 a 3 ovos, mas sua média é sempre dois que possuem cor branco-esverdeados, com muitas manchas marrons.

Na natureza fazem seus ninhos de paredes finas e o formato de xícara em arvores e arbustos.

Já a eclosão dos ovos só ocorre após no mínimo 13 dias de postura, sendo que ao chegar em 30 dias de nascimento, os filhotes já começam sair do ninho.

Em contrapartida, a fase adulta da ave chega ao completa um ano de idade, sendo que o período de reprodução é entre o inverno e verão de cada ano.

Qual a gaiola ideal para o Curió?

Para o pássaro, quanto maior o tamanho da gaiola melhor para ele.

No geral, as lojas especializadas já tem o tamanho certo para a gaiola, mas sempre opte por no mínimo a número 5 ou 6.

De qualquer forma, a gaiola nunca pode ter menos que 45 cm de comprimento por 50 cm de altura por 25 cm de largura de paredes finas.

Dessa forma, é possível afirmar que as gaiolas de madeira são as melhores escolhas.

Qual a gaiola ideal para o Curió?
Foto: Reprodução

Canto do Curió

Já foram descobertos mais de 180 tipos de cantos diferentes desse pássaro.

É dito que o canto do curió se assemelha ao som de um violino, sendo assim, esta ave pode ter vários timbres e tons, porém, a melodia clássica e sons característicos da espécie, tornam o canto impossível de não ser reconhecido.

Pelo Brasil existem diversos campeonatos de cantos de curió, inclusive.

Considerações finais

O curió é um pássaro passeriforme que pertence à família Thraupidae, cujo nome científico é Sporophila angolensis. O nome significa “ave angolana que gosta de sementes” que é, basicamente, decorrência de uma falha, visto que este pássaro é exclusivo da América.

Esta espécie está presente na maioria dos estados brasileiros, bem como em quase toda a America do Sul, com ressalva apenas do Chile.

Segundo informações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), o curió é um dos animais mais capturados durante as fiscalizações de tráfico e comércio ilegal de animais silvestres.

Tudo isso por conta de seu canto, além de se tratar de um pássaro que é acostumado com o convívio entre os seres humanos.

Gostou do conteúdo sobre o pássaro silvestre Curió? Então não se esqueça de compartilhar em suas redes sociais para todos os seus amigos conhecerem esta ave maravilhosa.

Outros pássaros para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *