Canários

Típio

Entre os vários tipos de canários encontrados ao redor do mundo, existe um bastante curioso que não leva nem mesmo o “canário no nome”.

O Típio é uma ave passeriforme da família Thraupidae e é encontrado principalmente em áreas com vegetação de pouca densidade.

Assim como os demais da sua família, o Típio também possui vários nomes de acordo com a região em que vive.

Ele pode ser chamado de canário-da-horta e canário-pirrita (Ceará), mané-mago (Pernambuco), gaturamo, canário-do-mato (Piauí), gaturão e canário-da-peste (PB), gaturamo, canário-do-chão, canário-da-grama (SP) e canário-de-velame (RN).

Você ficou curioso para conhecer um pouco mais sobre o típio? Então, é só iniciar leitura no texto abaixo.

Características do Típio

O Típio mede, me média, 12,5 centímetros de comprimento, podendo variar conforme a criação, alimentação e habitat.

O macho distingue-se do canário-da-terra-verdadeiro por faltar-lhe o amarelo no píleo, porém possui desenho amarelo no loro e em torno do olho.

A garganta e o ventre também são amarelos vivos, contrastando com uma estria malar e o peito acinzentados e manto intensamente estriado e de coloração escura.

A fêmea é bastante parecida com o macho, porém se diferencia por apresentar uma cor amarela menos vibrante, sendo mais opaca.

Costumam viver em campos limpos, tanto secos quanto úmidos e até em áreas urbanizadas.

É comum ver a espécie correndo pelo chão, sempre em bandos, mesmo na época de reprodução.

Já durante sua época de migração, costuma-se reunir às centenas em moitas de taquara para dormir durante as pausas da migração.

Subespécies do Típio

Assim como os demais canários, o Típio possui variações que se caracterizam como subespécies.

Confira a seguir as mais conhecidas:

Sicalis luteola luteola

É encontrado na Colômbia a oeste da Cordilheira dos Andes até a Venezuela, nas Guianas e no Norte do Brasil.

Os machos presentam a cabeça e o dorso bastante estriados, já as fêmeas se destacam pela garganta esbranquiçada.

Sicalis luteola flavíssima

Um pouco mais raro, essa subespécie é encontrada nas ilhas da foz do Rio Amazonas e na área adjacente do estado do Pará.

Apresentam os lados da cabeça amarelo oliva e as asas levemente mais longas que os demais Típios.

Sicalis luteola luteiventris

Essa subespécie é bastante comum nos seguintes Estados brasileiros: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Sua principal característica é a região peitoral acinzentada, separando a garganta e o ventre, que são amarelo pálidos.

Reprodução do Típio

Por serem pequenos e frágeis, os ninhos feitos pelos Típios são em grupos grandes da mesma espécie.

Cada ninhada geralmente tem entre 3 e 4 ovos, tendo de 3 a 4 ninhadas por temporada.

Os filhotes nascem, em média, após 13 dias de incubação, apresentando coloração parecida com os adultos.

Após saírem dos ovos os filhotes se separam dos pais após 30 dias, quando atingem a independência e conseguem voar sozinhos.

Alimentação do Típio

A alimentação do pequeno Típio é granívora, ou seja, possui como principal alimento as sementes.

As principais sementes indicadas para sua alimentação são alpiste, painço amarelo, senha e níger.

Porém, durante o período de reprodução a fêmea pode necessitar de alimentos mais nutritivos, como larvas e demais alimentos com bastante fibra e proteína.

Canto do Típio

A voz do Típio é fina e melodiosa, entoa estrofes fluentes e bem variados, indo do agudo para o grave e às vezes apresenta sons que lembram os do canário-do-reino.

Sua cantoria acontece principalmente enquanto está voando, ao deslizar lentamente com as asas estendidas para cima e a cauda bastante aberta.

Gostou das informações sobre típio? Então compartilha o post com seus amigos nas redes sociais e deixa seu comentário abaixo!

Fonte das imagens: Wikimedia Commons e WikiAves

4.5/5 - (2 votes)