Cacatua-de-crista-amarela

Seu canto é apenas uma das inúmeras características que chamam atenção para a cacatua-de-crista-amarela.

Ela é uma espécie bastante conhecida por ser capaz de habitar diferentes regiões, e também, por ser ótima parceira.

No presente artigo você ficará por dentro de todos os detalhes sobre essa ave tão fascinante.

Desde seu local de origem até seu comportamento bastante agitado. E ainda, saiba quais cuidados você precisa ter com esse bicho. Confira!

 

Origem do nome e subespécies da Cacatua-de-crista-amarela

A catatua-de-crista-amarela é conhecida cientificamente por Cacatua galerita.

Esse animal é pertencente à família Cacatudae. Também, em inglês é chamada de Sulphur-Crested cockatoo.

Além disso, só existem quatro subespécies dessa ave já catalogadas pela ciência.

A diferença entre elas consiste principalmente no tamanho da crista amarela.

Por consequência, elas são classificadas em cacatua-de-crista-amarela pequena e grande.

Cacatua-de-crista-amarela

Porte físico da cacatua -de-crista-amarela

Elas são pássaros de porte grande, podendo atingir até 50 centímetros de comprimento e pesar 900 gramas.

Ainda, as subespécies pequenas, podem chegar até 40 centímetros. Contudo, quando bem cuidadas, podem completar até 70 anos de vida.

São majoritariamente brancas e apresentam no bico uma tonalidade de preto.

Possuem uma crista exuberante, que é a razão de seu nome, e penas amarelas ao redor do corpo.

Cacatua-de-crista-amarela

Como é o comportamento da ave

É bastante famosa por ser um pássaro muito barulhento. Porém, é muito dócil, carinhosa, e atenciosa, fazendo dela uma grande companheira de vida.

Além disso, ela ama ser manuseada por seus donos e, por isso, necessita da dedicação dos mesmos.

É um bicho bastante inteligente, uma vez que for ensinada desde cedo, a cacatua-de-crista-amarela pode adquirir a capacidade de fala e aprender alguns truques.

Seu comportamento também é algo que pode ser variado, dependendo do modo da criação.

Reprodução e dimorfismo sexual

A fêmea desta espécie de cacatua constrói seu ninho em buracos nas árvores.

Ela costuma colocar de 2 a 3 ovos por vez, com a coloração dos mesmos, na maioria das vezes, branca.

Tanto macho, quanto a fêmea participam do processo de incubação que dura, em média, 28 dias.

Após a eclosão, como é de costume em muitas aves, os filhotes ficam sob cuidado dos pais por um tempo.

No geral, 75 dias é o período em que eles se encontram aptos para deixar o ninho.

Além disso, é uma espécie que apresenta dimorfismo sexual, ou seja, é possível diferenciar fêmea e macho.

A primeira possui olhos marrom avermelhados, enquanto o último apresenta olhos marrom escuro.

Habitat natural e distribuição geográfica

É uma espécie originária de regiões australianas, mais especificamente, norte e leste do país.

Também habitam locais como, por exemplo, na Tasmânia, Nova Zelândia, Ilhas de Ceram, Nova Guiné e Trobiand.

Então, a cacatua-de-crista-amarela curte ambientes florestais bem variados como: Manguezais, campo aberto e até Savannah.

Ainda quando estão em áreas desprotegidas, elas usam um sistema de alerta. Isso acontece para protegerem a si e a outras de seu bando.

Como é a alimentação da cacatua?

Quando estão na natureza, seus alimentos favoritos são grãos, sementes e insetos.

Já em cativeiro, essa dieta precisa de algumas modificações. A inclusão de ração de qualidade, alguns frutos e legumes variados, é essencial.

Também vale ressaltar que elas são aves muito susceptíveis a serem subnutridas.

Desse modo, o seu criador deve ministrar uma atenção redobrada para que sua comida ofereça tudo que ela precisa.

Além disso, muitas vezes, especialistas receitam alguns suplementos, exatamente como forma de combater qualquer indício de fraqueza manifestado por esses pássaros.

De forma geral, são adicionais vitamínicos, proteicos e minerais.

Cacatua-de-crista-amarela

Qual a melhor maneira de cuidar desse bicho?

Se você não curte uma companhia para brincar bastante, melhor escolher outro animal.

A cacatua-de-crista-amarela é uma ave conhecida por ser extremamente energética.

Assim é necessário que você utilize uma parte do tempo para colocar a ave para se mexer.

Desse modo, alguns exercícios são uma boa alternativa de manter sua atividade normal.

Deixar ela fora da gaiola e adquirir uns brinquedos também auxiliam e garantem ao animal uma boa qualidade de vida.

Como dito anteriormente, esse é um pássaro que gosta de atenção.

No geral, a ave e seu respectivo dono formam um grande vínculo de amizade.

Sendo assim, o animal não é indicado para pessoas que têm uma rotina muito ocupada.

Por sua vez, o melhor lugar para manter esse bicho, é em uma gaiola grande.

Logo, ela tem espaço suficiente para brincar. Outro fator importante é que o poleiro não deve ser de madeira, pois a ave não durará muito tempo.

Também é importante que o ambiente esteja sempre limpo e com água fresca.

O cuidado com a alimentação se estende na manutenção desses comedouros, visto que se evita formação de fungos que podem causar doenças.

Junto com a limpeza, vale garantir um recipiente com água a parte, pois esses bichos adoram tomar banho.

Em casos de climas quentes, borrife um pouco de água nas suas asas.

Algumas são provenientes de locais úmidos e isso a ajuda a se sentir melhor.

Qual o estado de conservação da cacatua?

Como uma série de outras aves, a cacatua-de-crista-amarela também é um alvo do tráfico e comércio de animais.

O animal ainda não é considerada em processo de extinção, estimando-se cerca de 500 mil bichos ainda vivos.

Entretanto, isso pode mudar, tendo em vista seu habitat natural que está diminuindo nos últimos anos.

Com a destruição em massa dessas florestas essa espécie pode sofrer grandes baixas em pouco tempo, mesmo que ela perpasse diversas regiões, essa situação está cada vez mais próxima.

Aqui neste artigo, você observou que a cacatua-de-crista-amarela chama atenção de muita gente não é de hoje.

Além disso, você aprendeu sobre seu comportamento, alimentação e reprodução.

Então, agora é a hora de mostrar aos seus amigos o que aprendeu sobre este querido animal. Compartilhe este artigo em suas redes sociais!

Outros pássaros para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *